Reprodução/PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira, 20, a operação Gold Rush, com o objetivo de investigar um esquema de lavagem de dinheiro em sete estados brasileiros, incluindo o Pará. A PF cumpriu 18 mandados de busca e apreensão e realizou o bloqueio de mais de R$ 118 milhões dos investigados.

As autoridades investigam atuação dos envolvidos no Pará, Amapá, Amazonas, Minas Gerais, Rondônia, Roraima e São Paulo, que usariam o comércio de ouro retirado de garimpos ilegais de Roraima e contrabandeados para a Venezuela. A suspeita é que tenham sido movimentados mais de R$ 300 milhões em 20 estados.

As investigações começaram após a PF analisar o relatório de inteligência financeira de um dos envolvidos, que foi preso por tráfico de drogas, e descobrirem que uma joalheria fantasma instalada em Roraima, teria movimentado mais de R$ 200 milhões em cinco anos.

A referida empresa era usada, também, para receber o dinheiro da venda de ouro ilegal dos investigados de outros estados e seria operada por um laranja do líder do grupo. Os criminosos simulavam obter o ouro de forma legal, como se tivessem comprado em pequenas quantidades de migrantes daquele país que chegam ao Brasil.

Os policiais identificaram negócios regulares com movimentações suspeitas feitas com uma empresa de serviço de limpeza urbana, que teria depositado mais de R$ 3 milhões para o esquema.

Os envolvidos podem responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, contrabando, extração ilegal de recursos minerais e usurpação de bens da União, com penas que chegam a 20 anos de prisão e mais multa.

Por: Roma News

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *