A operação foi realizada no estado do Tocantins e em Brasília, no Distrito Federal. (foto: divulgação/Ascom PF)

A Polícia Federal realizou na manhã de hoje (20) a Operação Sesmarias, com o objetivo de desvendar um esquema criminoso envolvendo a grilagem de terras públicas dentro da Terra Indígena Ituna-Itatá, localizada nos municípios de Altamira e Senador José Porfírio, interior do Pará.

A organização criminosa atuava na invasão da área federal com restrição de uso, promovendo a doação e venda de lotes de área pública com intenção de formar um assentamento e consolidar a ocupação de não indígenas na área. Os lotes eram trocados por dinheiro ou serviços.

Os criminosos prometiam aos indígenas da área a construção de uma Vila equipada com comércios, escolas e igrejas, tudo pensando para dar aparência de legalidade aos lotes.

Estima-se que a organização criminosa tenha arrecadado com o esquema cerca de R$ 1.741.890,00 entre os anos de 2018 e 2020.

A Polícia Federal cumpriu quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de Araguaína e Palmas, ambas no estado do Tocantins, e em Brasília, no Distrito Federal. A operação contou com participação de 15 policiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *