A operação “Tabebúia”, que combate uma quadrilha especializada na aprovação e exploração de planos de manejo florestais irregulares (foto: TV Liberal)
A operação "Tabebúia", que combate uma quadrilha especializada na aprovação e exploração de planos de manejo florestais irregulares (foto: TV Liberal)
A operação “Tabebúia”, que combate uma quadrilha especializada na aprovação e exploração de planos de manejo florestais irregulares (foto: TV Liberal)

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (4) a operação “Tabebúia”, que combate uma quadrilha especializada na aprovação e exploração de planos de manejo florestais irregulares, com intuito de gerar e negociar créditos virtuais fraudulentos nos sistemas  Sisdof/Sisflora. O inquérito policial foi instaurado com base em um relatório do Ibama e identificou irregularidades em cinco empresas.

A operação cumpre dois mandados de prisão preventiva, 16 mandados de prisão temporária, 10 mandados de condução coerciva e 41 mandados de busca e apreensão nas cidades de Belém, Marituba, Ananindeua, Tailândia e Almeirim no Estado do Pará. A ação também ocorre nas cidades de Curitiba (PR), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (BH).

Segundo a PF, as empresas teriam recebido créditos fraudulentos de essências nobres, principalmente Ipê (Tabebúia), para “esquentar” madeira de origem ilegal, destinados à exportação para os Estados Unidos e Europa. A polícia acredita que  as empresas envolvidas nas fraudes tenham  negociado algo em torno de R$ 28 milhões, deixando um prejuízo ambiental para a floresta amazônica irreparável.

Via G1 PA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *