Foto: Reprodução

Vicky Sayury Barbosa, de 23 anos, foi presa na manhã de quarta-feira (04) em Parauapebas, sudeste paraense, depois de agredir um homem que havia contratado seus serviços como prostituta e depois se recusado a pagar um novo valor, que ela teria estipulado na hora.

Depois de levada à delegacia, foi descoberto pela polícia que havia um mandado de prisão contra Sayury, que é transsexual, por um homicídio cometido no Distrito Federal.

Um homem natural do Paraná foi até a 20ª seccional de Parauapebas para informar que havia um programa de prostituição, através de um aplicativo da internet e, chegando ao local informado – Rua Tocantins, Bairro Liberdade I – ele entrou no quarto Com Sayury, de pronto entregou os 50 reais que teriam sido combinados anteriormente.

Ocorre que, antes de realizar o programa, a travesti teria dito que queria mais dinheiro, e foi então que o homem lhe disse que só daria o combinado no aplicativo. Como a suposta vítima se negou a lhe pagar o novo valor, Sayury teria atacado o cliente desferindo um soco na testa, nos lábios e mordendo o braço direito. Além das agressões, Sayury subtraiu da suposta vítima uma pulseira, um óculos de grau e 150 reais.

A Polícia Civil foi ao local, e lá levou Sayury, o cliente agredido e outra mulher,  Liliane Gomes de Sousa, que também estava na residência. Lá funciona como ponto de prostituição, e como uma adolescente foi encontrada na casa, Liliane foi responsabilizada e autuada por exploração sexual.

Na Delegacia, após os antecedentes de Sayury serem consultados por seu nome de batismo, a Polícia descobriu que constava contra ela um mandado de prisão preventiva em aberto pela Justiça de Brasília (DF). Sayury é acusada de homicídio qualificado contra uma outra travesti chamada Karla, no começo de 2019, e deve ser recambiada ao Distrito Federal para cumprir sua pena.

*Com informações O Liberal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *