Foto: Reprodução

Uma grande operação, coordenada pela Polícia Civil do Pará, Marinha do Brasil e Secretária de Fazenda (SEFA) levou à apreensão de uma balsa carregada com produtos sem notas fiscais avaliada em cerca de R$ 300 mil. A apreensão aconteceu na segunda-feira (7).

A Polícia Civil de Oriximiná investigava a prática de furto de gado na região do Baixo Amazonas e, em meio às ações, procuraram o paradeiro da balsa Lady Lili, cujo responsável é Raimundo Hailson Gonçalves, conhecido por “Trombetinha”.

Ao ser indagado sobre o paradeiro da balsa, ele disse que ela estava em Parintins, no Amazonas, vindo para Oriximiná. A Polícia então iniciou os preparativos para se deslocar ao encontro da balsa e abordá-la ainda na viagem.

Contudo, antes dos policiais saírem, o proprietário da balsa disse que ela estava próximo à cidade de Oriximiná e que havia mentindo por causa da inspeção que a Marinha do Brasil estava no município.

A Polícia foi então até o paraná, um braço de um rio caudaloso cheio de ilhotas, onde estava a embarcação a cerca de 25 quilômetros de distância da cidade. No local a embarcação foi autuada pelos agentes, pois não estava com a tripulação necessária para a viagem, o que coloca em risco a navegação.

A inspeção constatou ainda que a balsa estava abarrotada de materiais, entre gêneros alimentícios, bebidas, 63 pneus, 5 aparelhos de ar-condicionado, 228  malhadeiras (máquinas de fabricação de redes de pesca), sendo a maioria deles sem nota fiscal ou com nota fiscal “fria”, de procedência falsa. A Polícia acionou a SEFA e imediatamente os fiscais se dirigiram ao local, autuando o proprietário da embarcação em aproximadamente 100 mil reais.

Todos os materiais foram apreendidos e encaminhados à Receita Federal. Dois oito empresários locais identificados na operação e que transportavam materiais na embarcação de Trombetinha, apenas um estava regular com os tributos.

A maioria dos materiais apreendidos não tinha nota fiscal ou apresentava como destino cidades do próprio Estado do Amazonas, como forma de diminuir o valor devido do tributo.

Segundo a Polícia Civil, após lavratura de Relatório Circunstanciado da operação, todas as informações serão encaminhadas à Polícia Federal para adoção dos procedimentos cabíveis. 

Fonte: O Liberal


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *