Maioria dos alvos é da cidade de Redenção (Ascom/ PF)

A Polícia Federal cumpriu 16 mandados de busca e apreensão, a maioria relacionada a alvos localizados no município de Redenção, sul do Pará, na manhã desta terça-feira (01). A Justiça determinou também a indisponibilidade de bens de quatro alvos para fins de ressarcimento dos prejuízos causados à Fazenda Pública, que comprovadamente já ultrapassam o valor de R$ 1 milhão.

A ação faz parte da operação “Seguro Fake II”, que visa apurar esquema de fraudes ao seguro desemprego e outros benefícios sociais. Os crimes investigados são o estelionato previdenciário (art.171, parágrafo 3, do Código Penal), inserção de dados falsos em sistema de informação (art.313-A do Código Penal) e organização criminosa (art.2, caput, da Lei n° 12850/2013).

Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Belém. Além dos mandados cumpridos na cidade de Redenção, os policiais cumpriram um mandado na cidade de Palmas, capital de Tocantins. Segundo a PF, não houve prisões até o momento.

Primeira fase

Na primeira fase da operação, deflagrada em 22 de fevereiro de 2018, a PF cumpriu 19 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão nas cidades de Redenção e Conceição do Araguaia, no Pará, e São Luiz e São José do Ribamar, no Maranhão. Durante as investigações, foram identificados quatro grupos criminosos.

De acordo com os técnicos do Ministério do Trabalho (MTb), o trabalho em conjunto com a PF, desde a implantação do sistema antifraude desenvolvido pelo MTb em 2016, teria identificado e bloqueado mais de 57 mil tentativas de fraudes no país, o que equivaleria à desvios de aproximadamente R$ 800 milhões para os cofres públicos.

Por: PF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *