Alessandro Medeiros, entregador de aplicativos cuja imagem viralizou nas redes sociais após ser fotografado fazendo entregas de bicicleta com a filha no centro de Belém, conseguiu um emprego fixo. Com a corrente de solidariedade formada com o compartilhamento maciço da imagem, além do emprego como auxiliar de cozinha, Alessandro conseguiu uma motocicleta e bolsas em cursos profissionalizantes, enquanto a filha, ganhou uma bolsa de ensino integral em um colégio particular.

Depois de ficar desempregado por cinco meses depois do restaurante em que trabalhava falir por conta do isolamento imposto pela pandemia do novo coronavírus, o entregador  foi chamado para trabalhar como auxiliar de cozinha em um restaurante no centro histórico de Belém.

Corrente do bem

A cena captada no meio do vai-e-vem do centro da capital acabou se tornando o começo de uma história daquelas que renovam as esperanças dos que ainda acreditam em boa fé. A Guarda Municipal Elen Mello estava aguardando um carro de aplicativo na avenida Alcindo Cacela e lhe chamou atenção um entregador que vinha com uma criança na cadeirinha da bicicleta usada para o deslocamento. Sem maiores pretensões ela decidiu fazer um registro pelo celular e postar a imagem no seu perfil pessoal em uma rede social enaltecendo o esforço do rapaz para conseguir sobreviver. 

O que ela não sabia é que naquele instante ela estava dando o primeiro passo para que a vida daquele pai de família, que se chama Alessandro Medeiros, começasse a mudar. A postagem, feita no dia 22 de julho, ganhou várias curtidas e compartilhamentos. O esforço de Alessandro ganhou o reconhecimento de pessoas desconhecidas nas redes sociais e até foi pauta de matérias nos jornais.

O próprio Alessandro localizou o perfil de Elen e fez questão de agradecer pela iniciativa de postar a imagem. Casado e com uma filhinha de 4 anos, Rayna Vitória, Alessandro se viu diante do desafio de ajudar a esposa a manter o sustento da família e começou a fazer entregas por aplicativo.

Como não tinha moto, resolveu usar a bicicleta para trabalhar. Como a esposa trabalha o dia todo e nem sempre a sogra de Alessandro tem como ficar com a filha deles, a solução que encontrou foi levar a pequena com ele nas entregas. “Faço isso por necessidade mesmo, se pudesse escolher, eu não a levaria comigo”, disse. Mesmo com o emprego novo em um restaurante, Alessandro disse que deve continuar atuando como entregador.

Uma vaquinha virtual segue acumulando doações para a família, dinheiro que vai ser usando para construir a casa deles. 

Por O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *