Após ultrapassar 150 mil casos registrados do novo coronavírus, o Pará voltou a integrar a lista dos dez estados que tem apresentado crescimento de casos e óbitos por covid-19, com um aumento de 18%, segundo a variação da média dos sete dias, em relação à média de duas semanas atrás. O dado é do consórcio de veículos da imprensa brasileira. Pelas últimas projeções, o Pará deve terminar este mês de julho, na sexta-feira, com mais 5 mil casos da doença, ou seja, fechar o mês com 155 mil casos.

Os números do Pará, que entre 13 e 16 de julho quatro dias seguidos com média acima de dois mil casos por dia, e média de 1,5 mil casos nos últimos 15 dias, entre 14 e 27 de julho, apontam que a tendência de queda existe em relação ao início da pandemia, mas ainda não indica uma alta desaceleração das contaminações.

De acordo com os casos registrados informados pela própria Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa), o pesquisador Yuri Wllkens, da Universidade Federal do Pará (UFPA), aponta que o estado encerrará julho na faixa entre 151 mil (mínimo de casos) e 158 mil na hipótese de alcance do limite de confiança superior da projeção.

No Pará os números, que reduziram em Belém e Região Metropolitana (RMB), acabam mantendo uma linha estável de alta porque os casos avançaram rumo ao interior do Pará, em uma espécie de balança na qual a redução na capital e RMB é compensada com o aumento no interior, conforme as projeções de Wllkens, que é biólogo e pesquisador do Programa de Pós-Graduação de Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários (PPG BAIP) da UFPA.

Já o consórcio de veículos da imprensa apontou ainda o crescimento de óbitos nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso do Sul, Amapá, Rondônia, Roraima, Tocantins e Distrito Federal.

Por: Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *