Crédito: Reprodução

Rafael de Sousa Costa foi preso, na madrugada de segunda-feira (28), após ser denunciado pela companheira por lesão corporal. A mulher foi pessoalmente à Delegacia de Polícia Civil, em Curionópolis, município do sudeste do Pará, acompanhada de um casal de amigos. Lá, ela relatou as inúmeros agressões cometidas pelo acusado.

Segundo a PM, a mulher apresentava mordidas em várias partes do corpo, algumas profundas. Logo a notícia se espalhou na área urbana da cidade, com as pessoas se referindo a Rafael Costa como o “marido mordedor” ou “marido canibal”.

A Delegacia de Polícia Civil tomou a denúncia da vítima e, de imediato, designou uma guarnição para capturar Rafael. Ele foi encontrado ingerindo bebida alcoólica e, conforme a polícia, já estava embriagado. Ele teria alegado que agrediu e mordeu a jovem durante uma briga de casal para tentar se livrar do “xilindró”, sem explicar exatamente o que seria, para ele, o xilindró.

No entanto, a companheira afirmou que, em nenhum momento, agrediu Rafael. O homem recebeu voz de prisão, e foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado, em flagrante, por lesão corporal dolosa.

O artigo 129, do Código Penal, define o crime de lesão corporal dolosa como o ato de ofender a integridade corporal ou à saúde de outrem. A pena descrita é de detenção de  três meses a um ano.

Por: O Liberal

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.