Marajó: homem estuprava filhas desde a infância e teve 4 netos com uma delas
Foto: Reprodução

A Polícia Civil prendeu um homem identificado como Nicolau Gibis Barrozo, de 63 anos, na última quarta-feira (6), em Melgaço, no Marajó. Acusado de ser o responsável por uma série de estupros contra suas próprias filhas, gerando quatro filhos-netos de uma relação incestuosa.

Segundo as investigações, o homem teria ainda abusado sexualmente de sua filha-neta, uma menina de 13 anos, e foi esse abuso que chegou às autoridades e culminou com a prisão do idoso. 

O caso chegou ao conhecimento dele por meio do Conselho Tutelar do município. Nicolau começou os abusos há décadas, estuprando suas duas filhas. Uma conseguiu fugir dos ataques aos 14 anos e mudar de cidade, mas a outra, a mais velha, continuou em casa e passou a viver um relacionamento incestuoso com o pai, gerando quatro filhos: três meninos e uma menina, a caçula, de 13 anos.

Contudo, a mulher sofria de uma doença crônica – lúpus – e faleceu há cerca de duas semanas, aos 40 anos. “Antes de morrer, ela reencontrou com a irmã mais velha em Breves, após anos separadas.

Ela disse que continuava sendo estuprada pelo pai, com a filha dela passando mesma situação. Como último desejo antes de morrer, ela pediu à irmã que denunciasse o caso, para a menina não passar pelo que elas passaram”, disse o delegado Esli. 

A denúncia chegou ao Conselho Tutelar, e as investigações começaram, durando cerca de um mês. Segundo parentes e vizinhos, a menina não podia sair de casa, a não ser que fosse para a igreja e para a escola, e era mantida em cárcere pelo pai-avô, obrigada a fazer as tarefas domésticas.

Levada para passar por escuta especializada e exames sexológicos, foi confirmado que a adolescente já havia sido abusada sexualmente. Com base nas entrevistas com especialistas, ficou claro que o Nicolau havia estuprado a menina.

A Polícia representou um pedido de prisão preventiva à Justiça, por meio do Ministério Público, que autorizou que o idoso fosse detido. Segundo o delegado, Nicolau confessou em parte os crimes, dizendo que realmente convivia em união conjugal com sua filha mais velha, mas não assumiu ter estuprado a menina de 13 anos. Os demais filhos já são todos maiores de 18 anos e não moram mais com o pai.

Agora, a menina foi levada para morar com uma tia no interior de Melgaço, enquanto o homem segue preso na delegacia do município, à disposição da Justiça.

*Com informações O Liberal.