Uma mulher de 43 anos, portadora de esquizofrenia, foi resgatada pela Polícia dentro de um quarto imundo, onde era mantida em cárcere privado pela própria filha, de 25 anos. A vítima estava nua, deitada em uma cama suja e coberta de restos de comida. O cômodo não possuía lâmpada e a única janela estava bloqueada para que a idosa não tivesse acesso à rua. O caso ocorreu em Parauapebas, no sudeste paraense,

De acordo com a delegada que investiga o caso, Ana Carolina Carneiro Abreu, a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) recebeu uma denúncia anônima sobre negligencia e maus tratos. Ao chegarem no local indicado, no residencial Alto Bonito ninguém atendeu à porta. Uma intimação para comparecimento na Deam foi deixada.

Nesta terça, a filha Suzana Nascimento Rocha foi até a delegacia e tentou evitar que os policiais fossem até o imóvel checar a denúncia. A suspeita de que algo estava errado só aumentou e ao chegarem na casa, os agentes viram uma cena de terror.

“As baratas começaram a sair pela porta, tentei acender a luz e não tinha luz, falei para abrir a janela e não tinha como abrir porque ela colocou tábuas de madeira, lacrou a janela. A mãe não tinha acesso à luz do dia e nem à luz artificial, estava em uma situação que chorei, não tive condições de entrar. Estava deitada no colchão, sem lençol, nua, misturada com fezes, urina, insetos, cheia de bolachas de água e sal que acho que era a única coisa que ela se alimentava”, relatou a delegada à imprensa local.

Testemunhas foram ouvidas e confirmaram que a vítima não saía de casa. Um único vizinho relatou que viu a mulher uma vez e ao perguntar, Suzana respondeu que iria levar a mãe para desbloquear o cartão da aposentadoria. A investigações apontam que a filha utilizava o dinheiro da mãe.

Ao ser regatada, a mãe não conseguia ficar em pé e estava delirante. Ela foi socorrida em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel à Urgência (Samu) e encaminhada para o Hospital Geral de Parauapebas. O serviço social da unidade tenta contato com outro filho e demais familiares.

Na casa também estava a filha de Suzana, de apenas 5 anos, que foi encaminhada ao Conselho Tutelar. A criança estava bem vestida e alimentada, sem sinais de maus tratos.

Suzana foi autuada em flagrante pelos crimes de cárcere privado, maus tratos, abandono material e exposição da saúde a perigo.

Fonte: Correio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *