Edvan da Conceição Rodrigues, considerado um dos criminosos mais procurados do Estado do Pará, foi preso enquanto saía de uma festa, na zona leste de Teresina, capital do Piauí, na note deste domingo (16). A prisão foi uma ação conjunta da Força Tarefa da Secretaria de Segurança, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) do Piauí, com informações das diretorias de inteligência das secretarias do Pará e de Teresina.

Segundo o delegado Rommel de Souza, superintendente da Região do Lago do Tucuruí, Edvan, também conhecido como “Codó”, era procurado por tráfico de drogas, associação ao tráfico, roubo e vários homicídios. Ele é um dos líderes de uma facção criminosa, e por isso, exercia influência em atividades criminosas em toda aquela região.

“Ele tem mandados de prisão expedidos pela comarca de Tucuruí, Breu Branco e Goianésia do Pará. É até difícil precisar quantos homicídios ele teve participação, pois quase todas as mortes passavam por ele, com alguns ele atuando como autor direto e outros, indiretamente”, disse o delegado. 

Codó já vinha sendo investigado há cerca de um ano e meio, e todas as diligências para prendê-lo em Breu Branco, cidade onde ele morava, não tiveram sucesso. Por causa disso, ele resolveu fugir do Pará, e se escondeu na cidade do nordeste. O acusado vinha sendo monitorado por policiais civis do Pará e mesmo à distância, ele continuava comandando o tráfico de drogas na Região do Lago de Tucuruí, especialmente na cidade de Breu Branco.

Enquanto os policiais civis do Pará realizavam o acompanhamento de “Codó”, ficaram sabendo que ele estaria na noite de domingo em um bloco de carnaval e avisaram os policiais do Piauí, que realizaram a campana. Ainda houve uma perseguição ao suspeito, que percebeu a presença dos policiais, mas dessa vez, o criminoso não conseguiu escapar. “Agradecemos muito o apoio da polícia do Piauí, pois a ação deles foi fundamental para o sucesso da prisão”, disse o delegado Rommel.

Agora, ele segue detido em uma delegacia de Teresina, enquanto aguarda o deferimento de sua transferência ao Pará.

Fonte: O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que aconteceu hoje, direto no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.