Reprodução/ Divulgação

A juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira foi encontrada morta a tiro na manhã desta terça-feira (17/5) dentro de um carro na garagem do edifício onde morava em Belém. Ela teria sido encontrada pelo próprio marido, que também é juiz, que levou o corpo até a Delegacia de Homicídios, no Bairro de São Brás, onde disse que ela teria usado a arma dele para cometer suicídio.

O caso já está sendo investigado. Segundo a Polícia Civil, a Delegacia de Homicídios está conduzindo as investigações. A juíza era natural da Paraíba, mas atuava na cidade de Martins, no Rio Grande do Norte, e vinha com frequência a Belém, onde mora o marido dela, João Augusto Figueiredo de Oliveira Júnior, que é titular da Vara da Infância e Juventude de Belém.

Mônica Andrade também era prima da vereadora de Campina Grande Ivonete Ludgério (PSD). O Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) infirmou que ainda não vai se manifestar sobre o caso.

Segundo informações que estão sendo apuradas pela polícia, Mônica e o marido teriam tido uma discussão pela manhã no apartamento onde moravam, no edifício Rio Ninõ, no Bairro de Nazaré, área nobre de Belém. Depois disso, ela teria sido encontrada morta dentro do veículo, que pertence ao juiz, na garagem do prédio.   

Por: O Liberal

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.