Crédito: Reproudção/Freepik

Uma jovem de 18 anos denunciou o pastor e superintendente da Igreja Quadrangular do município de Altamira, no sudeste do Pará, por estupro de vulnerável. Os abusos teriam ocorrido durante cinco anos e começaram quando a vítima tinha apenas 9 anos de idade.

Segundo o Boletim de Ocorrência (BO), registrado na Delegacia Especializada no Atendimento a Criança e ao Adolescente (Deaca) em Altamira, na última quarta-feira, 4, a jovem demorou para fazer a denúncia por ser coagida pelo acusado. O homem dizia que, se ela denunciasse, iria magoar muito sua mãe.

No boletim consta que o acusado era amigo íntimo da família e, com isso, levava a menina para uma reservada da área da igreja. A garota relatou que o pastor tocava suas partes íntimas, tirava sua calcinha e realizava o abuso sexual. Apesar dela pedir que suspeito parasse, ele não obedecia.

Ainda de acordo com o relato da vítima, o pastor costumava levar a jovem para determinados lugares e os abusos eram diários. Segundo ela, outras garotas também teriam sido abusadas pelo o homem, que lhe oferecia dinheiro depois de estrupá-la. A vítima também contou à polícia que, após os estupros, ela era obrigada a orar. 

Portal Roma News entrou em contato com a defesa do acusado, mas ainda não obteve retorno.

Por: Roma News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *