Arte: J. Bosco
Arte: J. Bosco
Arte: J. Bosco

Na matéria publicada pela revista Veja desta semana intitulada ‘Baiano relata em detalhes sua atuação a serviço do PT e aliados no assalto à Petrobras‘, o lobista Fernando ‘Baiano', afirma que o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) está envolvido no esquema de corrupção na área internacional da Petrobras, que começou em 2006, no então governo de Lula.

Além de Jader, segundo a revista, estão ainda os os senadores Renan Calheiros (PMDB), Delcídio Amaral (PT) e o ex-ministro Silas Rondeau, que, após o mensalão, substituiu a então ministra Dilma Rousseff.

A revista obteve um documento com 16 páginas em que Baiano revela ter pago propina ao presidente do Congresso, ao líder do governo Dilma no Senado, a um ministro do governo Lula e a um senador do PMDB. Tudo foi dito no processo de delação premiada à Procuradoria Geral da República.

“Ouvido por três procuradores da Procuradoria-geral da República no dia 9 de setembro deste ano, Baiano contou que que os senadores Renan Calheiros, Delcídio Amaral e Jader Barbalho (PMDB-PA) e o ex-ministro Silas Rondeau negociaram pessoalmente propinas relacionadas a contratos na Petrobras. Em apenas uma negociata, eles receberam 6 milhões de dólares”, diz um trecho da revista.

A publicação destaca ainda que Baiano afirma que Delcídio e Rondeau pediram inicialmente 4 milhões de dólares de propina para dividir com Renan Calheiros e Jader Barbalho. Mas este valor, segundo a revista, teria subido para 6 milhões de dólares (23 milhões de reais) em um segundo encontro em Brasília, quando Nestor Cerveró ficou frente a frente com o quarteto.

“Comparsa de petistas e peemedebistas, Baiano narrou minuciosamente como intermediou propina para as lideranças dos dois partidos. Tudo custeado pelos cofres da Petrobras”, destaca outro trecho de Veja.

 

Via ORM News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *