Paulo_Jasper

A Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) decidiu ontem rejeitar a renovação do pedido de licença do deputado estadual Paulo Jasper (PMDB), mais conhecido como “Macarrão”. Desde que foi eleito, há três anos, ele vem emendando sucessivos pedidos de licença, todos de curto prazo, para não comparecer ao trabalho. A decisão inédita no Legislativo vai resultar no desconto de quatro dias de trabalho de Jasper ao final do mês.

Dos 23 deputados presentes na sessão de ontem, apenas dois: Chicão e Nilma Lima, ambos do mesmo partido de Macarrão, votaram favoráveis ao requerimento do deputado. O líder da bancada, Parsifal Pontes, e a deputada Simone Morgado se ausentaram do plenário na hora da votação, mas voltaram em seguida.

O deputado Edmilson Rodrigues (PSOL) foi quem encaminhou a votação contrária ao pedido de mais uma licença. “Estamos há três anos com 40 deputados nesta Casa. Não é justo com o povo. Temos aqui um deputado a menos sempre para votar os assuntos de interesse da população. Não vou aceitar mais dar uma ou duas semanas de licença. Se ele está doente, e é verdade, que peça licença por um período mais longo para se tratar e chame o suplente. Não tenho nada pessoal contra o deputado Macarrão, mas temos que obedecer o regimento. Não é justo que a população pague o salário e mais a estrutura de mandato, que não é barata, com assessores e custeio de transporte, sem que o cara apareça aqui. Como esse dinheiro é gasto?”, questionou Edmilson.

Durante o encaminhamento de votação, ele citou casos de outros deputados que quase não aparecem no plenário, que são Luiz Rebelo (PP) e Raimundo Belo (PSB), porém, ressaltou que mesmo estes não chegam nem próximos do número de ausências de Macarrão.

Ontem, a Mesa Diretora da Alepa não confirmou quantos pedidos de licença ou dias ausentes o deputado Macarrão teve desde o início da legislatura. Porém, muitos deputados admitiram que, este ano, só lembraram de ter visto o colega de trabalho no plenário, no máximo, duas vezes. Uma delas na eleição
para a Mesa Diretora.

Como o pedido de licença em questão fazia referência há dias já passados – neste caso 24 e 25 de setembro e 1 e 2 de outubro – a consequência prática da votação será o desconto na folha dos dias de ausência.

E nem mesmo quem votou a favor do deputado conseguiu justificar tantas faltas. O deputado Chicão (PMDB), por exemplo, se limitou a dizer que a ausência de critérios para aceitar ou rejeitar pedidos de licença o impedia de se posicionar contra Macarrão.

“Respeito a posição e quem votou contra, mas acho que temos que definir os critérios, porque se não corremos o risco de sermos injustos. Ele não é o único que falta muito”, afirmou Chicão, ressaltando que vai formalizar à Mesa Diretora, por escrito, um pedido de informações sobre a quantidade de pedidos de licenças de todos os deputados, desta e de outras legislaturas.

Para o presidente da Alepa, Márcio Miranda, apesar da atuação parlamentar não se resumir às atividades no plenário, a participação dos deputados nas sessões é importante para garantir a produtividade e efetividade das ações na Casa. Por isso, a rejeição do pedido de licença de Macarrão será pedagógica para os deputados que costumam faltar.

O deputado Paulo Jasper foi prefeito de Tailândia por dois mandatos consecutivos, de 2001 à 2004 e de 2005 à 2008, ano em que elegeu o ex-prefeito Gilberto Sufredini, o Gilbertinho. A única derrota eleitoral de Macarrão, foi nas eleições municipais de 2012, quando apoiou sua esposa e então candidata à prefeita Hígia Frota.

Via, O Liberal

Para acompanhar mais notícias sobre Marketing Digital, Curta o Portal Tailândia no Facebook facebook.com/portaltailandia.com.br. Siga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.