No município de Parauapebas, sudeste paraense, um homem de 20 anos foi preso por estupro de vulnerável, cometido contra uma menina de 12 anos.

Segundo a Polícia, Lázaro de Oliveira Borges vivia com a menor maritalmente desde que a menina tinha 10 anos. Eles residiam na Vila Quatro Bocas, zona rural de Itupiranga, na fronteira com Marabá.

De acordo com a delegada Ana Carolina Carneiro, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher e no atendimento à Criança e Adolescente (Deam/Deaca), em novembro do de 2020, a menina teria engravidado do acusado, ainda quando tinha 11 anos de idade, mas teria sofrido aborto espontâneo.

Ainda segundo apurações feitas pela Polícia, chegou ao conhecimento da delegada Ana Carolina que, na tarde da segunda-feira, 4, através da Assistência Social do Hospital Geral de Parauapebas, informando que uma adolescente de 12 anos havia dado entrada no hospital com sangramento e aborto espontâneo e que o suposto pai da criança, Lázaro, a acompanhava.

A delegada solicitou que uma equipe se deslocasse até o hospital para averiguar os fatos. Após a confirmação, foi dada voz de prisão ao acusado.

A menor permanece internada, por isso, a escuta especializada realizada pela delegada foi na própria unidade hospitalar, onde testemunhas destacaram que os dois se relacionavam com o conhecimento dos pais de ambas as partes.

“Ela engravidou aos 11 anos. Isso é inadmissível. Essa prática deve ser abolida da nossa sociedade”, defende Ana Carolina. 

De acordo com a lei, o estupro de vulnerável é crime mesmo com o consentimento da vítima. A lei diz que alguém com essa idade não tem capacidade para consentir essa prática.

O advogado de defesa do preso pontuou que o relacionamento tinha a permissão da mãe da adolescente, e durante a audiência do cliente com o juiz, irá pedir que ele possa responder ao processo em liberdade.

Fonte: Correio de Carajás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *