Na primeira fase do Programa Territórios Sustentáveis (TS), pertencente ao Plano Estadual Amazônia Agora, do Governo do Estado, a Secretaria de Desenvolvimento Estadual Agropecuário e da Pesca (Sedap), capacitou produtores para que eles possam desenvolver as atividades de campo toda a fase preparatória na questão de insumos, máquinas, fertilizantes e tudo que vai precisar paras ações de campo que vai ser um pouco mais na frente.

O titular da Sedap Hugo Suenaga, afirma que a Participação da Secretaria no Plano Amazônia Agora, é justamente ajudar a produzir de forma sustentável. “Temos como principal foco trabalhar tanto em recuperação de áreas degradadas através de Safs como na Pecuária sustentável, na pecuária leiteira, na pecuária de corte, ambas são de extrema importância devido à vocação do Município de São Félix do Xingu e região, uma vez que a gente tem o maior rebanho bovino dentro dessa região que a gente está atuando dentro dos territórios sustentáveis”. 

O coordenador de produção animal da Sedap Ronald Tavares explica que a pecuária do Estado não possui tantas técnicas e por isso é importante dentro das ações dos territórios sustentáveis promover uma pecuária mais sustentável, mas baseada no uso de técnicas de produção mais intensiva, e para isso usa algumas estratégias como um manejo nutricional mais nacionalizado, uma difusão do material genético de melhor qualidade. “Tudo isso vai favorecer para que a gente possa produzir e ter uma produção maior do que a gente tem hoje, e como vamos trabalhar no rumo de uma produção mais intensiva as áreas vão ser exploradas cada vez menos e consequentemente não precisaremos mais avançar em novas áreas para produzir mais”.

Dentre outras melhorias por conta do TS, o rebanho vai aumentar e as áreas tendem a diminuir porque estarão com uma produção mais intensiva, o ciclo de produção de corte ou de leite vai ser mais curto, o ciclo de produção na bovinocultura de corte também e nas propriedades de leite a produção tende a aumentar, então todos esses pontos serão impactados positivamente. 

Outro setor beneficiado será a cacauicultura, com a produção de hortaliças nesses territórios também, todos esses fatores vão melhorar, já que objetivo principal do programa é favorecer o desenvolvimento da região em sintonia com ações de regularidade ambiental.

Os órgãos participantes do plano: Sedap, Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Emater-PA, Iterpa, Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e Banpará.

Por Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *