Reprodução/PM

A vida de crimes de Wellington Jhonatan Pantoja Carneiro, o “PJ”, de 23 anos, chegou ao fim na manhã de domingo (10/4) quando ele enfrentou a tiros a Polícia Civil e equipes da 18° Companhia Independente da Polícia Militar (18ªCIPM) de Jacundá e do 37° Pelotão da Polícia Militar (37ºPEL) de Goianésia do Pará, no sudeste do Pará. Ele foi alvejado e não resistiu.

A ação aconteceu por volta de 11h30, na Rua Milton Costa, no Bairro Novo Horizonte, em Goianésia do Pará. Segundo a Polícia Militar, o delegado titular da Delegacia de Goianésia, Melquisedeque Ribeiro, solicitou apoio, após receber denúncia anônima, que um traficante de alta periculosidade, identificado como Jhonatan Pantoja ou “ PJ”, além da venda de entorpecentes, estava ameaçando os moradores do bairro. Inclusive ele estaria fazendo pichações e demarcação de território no local.

A equipe composta pelo pelos terceiros sargentos Cesar Leal, Raimundo e Vilhena e o soldado Correa deram apoio à equipe da Polícia Civil até o endereço do acusado. Chegando à residência, Jhonatan correu pra dentro de casa.

As equipes realizaram cerco e o acusado então começou a atirar contra os agentes que entraram na casa. Foi feito o revide imediato e ele foi alvejado com dois tiros na altura do tórax.

“PJ” foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Goianésia do Pará, mas não resistiu aos ferimentos e evoluiu a óbito. Na casa e com ele foram aprendidos um revólver calibre 38, um cartucho de caibre 36, oito cartuchos calibre 38 (três flagrados e cinco intactos), uma arma caseira tipo cartucheira, 50g de cocaína e 20 g de maconha. Todo o material foi apreendido e a Polícia Civil tomou as medidas cabíveis.

Por: Tina DeBord/Native News Carajás

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.