Crédito: Ibis Felipe Lins

O massacre ocorrido no Centro de Recuperação Regional de Altamira, na última segunda-feira (29), resultou em 58 mortos, sendo 16 decapitados. Para identificação da maioria dos corpos, principalmente, os carbonizados, o Instituto Médico Legal (IML) solicitou que cada família escolhesse um representante para realização do exame de DNA.

VEJA TAMBÉM

A medida foi tomada em decorrência do estado dos corpos degradados pela violência, o que dificultou a identificação imediata pelos peritos. Na última quarta-feira (31), os agentes do IML organizaram uma lista de familiares para realização do exame de DNA.

*Com informações Roma News.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *