Os familiares de Diego Luciano Bezerra do Rosário, 34 anos, pedem ajuda das autoridades pela liberdade de Diego, preso no município de Rio Brilhante, no interior do estado de Mato Grosso do Sul, por um suposto roubo de uma carreta. A família conta que o paraense, pai de duas crianças, foi vítima de um golpe aplicado por quadrilhas em popular site de anúncios. 

A mãe e a irmã de Diego gravaram um vídeo e publicaram na internet para explicar o ocorrido e pedir apoio das autoridades. A família também é nascida no Pará, porém residem em São Paulo há alguns anos. A irmã Marcela Lisbôa disse que o rapaz, que morava na capital paulista, conseguiu um emprego de motorista no estado de Santa Catarina, por meio de um site de vendas na internet.

Segundo Marcela, o contratante, identificado como “Zé Pedro”, se apresentou como gerente de uma empresa chamada Salomão & Bombas, e contratou Diego para o cargo caminhoneiro, entretanto, de forma autônoma, pelo fato do paraense ainda não ter experiência na função. Zé Pedro teria prometido que em breve assinaria a carteira de Diego.

Ao chegar na barreira da cidade de Rio Brilhante, Diego foi parado pela Polícia Rodoviária Federal. De acordo com os agentes, o caminhão era roubado e o dono do veículo havia registrado a denúncia de roubo em São Paulo. Diego, que mantinha contato com Zé Pedro apenas via Whatsapp, foi bloqueado pelo contratante ao informar sobre o ocorrido. O paraense foi preso no dia 2 de novembro de 2019. Há mais de um ano que familiares que a família de Diego pede ajuda e, agora, por meio da internet, pedem apoio dos conterrâneos na divulgação do caso.

“Ele (Diego) saiu de Belém de ônibus, levou os dois filhos de uma vizinha nossa, de Belém, para Santa Catarina. A minha vizinha foi na frente, conseguiu emprego e depois mandou trazer os filhos. E na época, o meu irmão estava procurando emprego, foi onde veio a oportunidade para ele, então, aproveitou e levou os dois filhos dela para Blumenau, onde morou por um mês”, disse Marcela.   

Roma News

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *