Pelo sexto mês seguido, o Pará voltou a gerar mais empregos formais e fechou o ano de 2020 como o maior gerador de vagas com carteira assinada em toda a região Norte. O Estado é, ainda, o quarto que mais criou empregos formais em todo o País.

Os dados de novembro revelados nesta quarta-feira, 23, pelo Ministério da Economia, com base no novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apontaram que de janeiro a novembro quase 40 mil postos formais de trabalho foram criados no Pará, em que pese um ano atípico e com um cenário desfavorável em razão da pandemia do novo coronavírus, que afetou em cheio a economia nacional.

No setor formal, os dados do Caged apresentados pelo Ministério da Economia mostram que, em novembro, o Pará teve 26.853 contratações formais e 20.638 desligamentos. Isso resultou no saldo positivo de 6.215 novas vagas com carteira assinada no mês. Os números são bem superiores em comparação ao mesmo período de 2019, quando foram criados no mês 3.123 postos.

Quase todos os setores da economia apresentaram dados positivos, exceto a construção, com -1.443 vagas. Motivado pelas festas de fim de ano, o Comércio criou quase 5 mil postos de trabalho em um mês e puxou a fila, seguido pelo setor de serviços, com 2.114 novos empregos.

Segundo o escritório regional do Pará do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), no mês, todos os estados do Norte apresentaram crescimento de empregos formais, com destaque para o Estado do Pará, seguido do Amazonas com a geração de 5.436 postos de trabalhos. O balanço efetuado pelo órgão apontou um número expressivo na geração de empregos formais no Pará de janeiro a novembro. Foram feitas no período analisado 266.085 admissões contra 227.851 desligamentos gerando saldo positivo de 38.234 postos de trabalhos.

Todos os setores econômicos apresentaram crescimento na geração de empregos formais, com destaque para o Setor Serviços com saldo positivo de 11.357 postos de trabalhos e Construção, com saldo positivo de 9.818 postos de trabalhos.

CAMPEÃO

Entre os 144 municípios do Estado, o campeão de empregos foi Parauapebas. No ano, o setor econômico do município do Sul do Pará criou 9.139 empregos. Quase o triplo em relação ao segundo lugar, Belém, que teve 3.638 novos postos gerados no comparativo entre demissões e contratações no período.

Segundo o Secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocencio Gasparim, os números positivos são resultado do esforço do Governo do Estado ao incentivar politicas públicas de empregabilidade, junto ao setor empresarial, em meio ao processo de retomada da economia. “Todos nós sabemos do choque que a pandemia da Covid-19 gerou sobre a economia brasileira, apesar deste cenário, o Pará se manteve com saldos positivos, principalmente em relação ao aumento de postos de trabalho formais. Através do ‘Retoma Pará’, o governo possibilitou que obras fossem iniciadas, que empresas que estavam em processo de abertura de loja ou contratação retomassem as contratações, e que atividades de serviço fossem desenvolvidas, por isso, hoje, alcançar o melhor resultado entre os estados da região Norte, é ter a certeza de que fomos assertivos em nossas escolhas”.

Números

Em novembro o Estado apresentou saldo positivo de 6,2 mil postos criados.

Para entender

OS 5 ESTADOS QUE MAIS GERARAM EMPREGOS NO ANO

Santa Catarina: 67.134 vagas

Paraná: 61.586

São Paulo: 40.856

Pará: 38.234

Minas Gerais: 36.577

Fonte: Dol – Novo Caged – SEPRT/ME.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *