O empresário Miguel Iskin foi preso pela Polícia Federal (PF) nesta quinta-feira (04), no Rio de Janeiro. O empresário é acusado de desvios na área da saúde do Estado do Rio, desde a gestão do ex-governador Sérgio Cabral.

O empresário também está envolvido na compra de 152 respiradores com defeitos para o governo do Pará. O caso do Pará também está sendo investigado pela PF.

A ordem de prisão foi expedida pela 7ª Vara Federal Criminal, comandada pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pelos casos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. De acordo com a PF, Iskin foi preso em sua residência e encaminhado ao sistema prisional.

Em de 2017 Miguel Iskin foi preso após a PF deflagrar a operação Fatura Exposta, que investigava um esquema de fraudes na compra de próteses para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro.

Em 2018 ele foi alvo nas Operações Ressonância e SOS.

Iskin foi solto por decisão anterior monocrática do Supremo Tribunal Federal (STF) e cumpria medidas cautelares. Por meio de decisão colegiada da 2ª Turma do STF, foi determinada novamente sua prisão preventiva.

Além de Miguel, a polícia federal já prendeu os empresários André Felipe Oliveira e Glauco Guerra (preso em Belém na época que chegaram os respiradores da China) dentro do esquema dos respiradores quebrados.

Fonte: Pará Web News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.