Crédito: Reprodução/Redes Sociais/Instagram
Reprodução

A família de Yasmin Cavaleiro de Macedo enviou ao Grupo Liberal uma série de áudios enviados por ocupantes da lancha, enviados momentos após a jovem ter morrido em um passeio de lancha nas águas do Rio Maguari, em Belém, no último domingo, 12. Nas gravações, enviadas a uma tia da jovem, a amiga de Yasmin que avisou a família do desaparecimento vai detalhando o caso.

Logo depois da 1h da manhã, a família recebeu a informação da amiga que seria a pessoa mais próxima de Yasmin, e inclusive, frequentava a casa da estudante.

“Oi! Tô no meio da água aqui, a internet tá horrível”

“A gente tava na água. Ela bebeu e se jogou. A gente não viu, né, e aí, quando a gente deu falta dela, a gente procurou, procurou e procurou. A gente já acionou a polícia, os bombeiros, e estamos esperando notícias”.

Em seguida, essa jovem alega que Yasmin teria consumido bebida alcoólica quando pulou na água. A família nega essas informações, e diz que a jovem não tinha o hábito de beber e, inclusive, dirigia para os amigos quando saíam para festas.

“A gente não tem culpa. A Yas é ‘de maior’. Ela bebeu porque ela quis, ela pulou porque ela quis. Ninguém empurrou, ninguém fez nada. entendo que vocês devem estar muito preocupados, A gente também tá. A gente tá aqui até agora, esperando os bombeiros”

Em seguida, a jovem diz “A gente tá todo mundo aqui na delegacia, fazendo a ocorrência”, e pede para que um grupo de WhatsApp seja criado para centralizar as informações do caso e diz que não bloqueou a mãe de Yasmin.

“Várias pessoas estão mandando mensagem, perguntando pra amigo, falando que é desumano, e não é isso. Eu avisei você [a tia], avisei a mãe dela, avisei que ela tinha sumido, que foi na marina. As coisas estão lá, então, tipo assim, eu falei tudo. Estão dizendo que eu bloqueei vocês. Jamais faria isso.  “Eu já dei todas as informações. Tem que ir na delegacia para seguir” “Eu só quero te pedir um favor: faz um grupo, passa as informações lá. Tem muita gente distorcendo muita coisa”

Uma história cercada de mistério rodeia a morte da influenciadora digital e estudante de medicina veterinária, Yasmin Cavaleiro Macêdo, de 21 anos. Encontrada morta às 12h40 da  última segunda-feira (13), em Icoaraci, a jovem teria se afogado no dia anterior, após um passeio de lancha pelo furo do Rio Maguari, em Belém, na noite de domingo (12).

Segundo o Corpo de Bombeiros  Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Yasmin foi encontrada por mergulhadores do 1º Grupamento Marítimo Fluvial (1º GMAF), a aproximadamente 11 metros de profundidade, próximo do local indicado pelas testemunhas.

Comentário
  1. Como é que uma “amiga” não se abala em perder a amiga no rio ?! Ela convivia com Yasmin, sabe que ela não bebe, não ia se jogar no rio, muitas mentiras estão sendo ditas, mas a verdade vai aparecer, a pessoa q a Yasmin confiava, estavam sempre juntas, deveria ter ajudado, ou ao menos falar de fato o que aconteceu. 😞 Revoltante !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.