Farinha teve redução de preço de quase 14% em 2017. (Foto: Igor Mota/Amazônia Jornal)

Pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconomicos do Pará (Dieese-PA) divulgada nesta terça-feira (16), aponta que o preço da farinha de mandioca ficou 13,6% mais cara, durante o ano de 2017.

Ainda segundo o Dieese, em 2017 a farinha comercializada na região metropolitana de Belém teve sucessivos pequenos reajustes. Em janeiro de 2017, o preço médio era de R$ 7,13; em fevereiro caiu para R$ 7,12; em março foi comercializada a R$ 6,95; em abril, um pequeno aumento para R$ 6,97. O valor médio foi caindo até novembro e dezembro quando o preço médio era de R$ 6,16. A trajetória dos últimos 12 meses é de quase 14 % de queda no valor médio.

Mesmo com as quedas verificadas em 2017, o quilo da farinha de mandioca consumida pelos paraenses ainda é caro, considerando que o Pará continua sendo um dos maiores produtores do produto, afirma a pesquisa.

Mesmo com preços em queda, a alimentação básica dos paraenses ainda continua entre as mais caras do país. No mês de dezembro, a cesta básica custou em Belém R$ 356,67 comprometendo na sua aquisição de 41% do salário mínimo de R$ 937,00 que vigorou, até o último dia 3.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.