“Muito calor e muito quente” é como a professora Gabriela Guerreiro define o clima nesses últimos dias na capital paraense. “Quando chove até melhora um pouco, mas não tem chovido todos os dias, além de estar abafado”, afirma Gabriela, que, logo no início do mês de julho, correu para garantir mais um ventilador para a sua casa. 

O meteorologista Saulo Carvalho, coordenador do Núcleo de Monitoramento Hidrometeorológico da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), prevê muito calor, sol e muita umidade no mês de julho para a faixa norte do Pará, que inclui a capital, Belém. 

A previsão indica para essa área valores máximos de chuva entre 100 a 200 milímetros que serão distribuídos em forma de pancadas de chuva, entre o período da tarde e início da noite durante o mês de julho.

“O espaçamento entre as chuvas já está de um para cada dois dias, com uma quantidade bem inferior ao período chuvoso dos meses de março e abril, por exemplo, quando esperávamos entre 400 e 300 milímetros de chuva”, ressalta o metereologista.

Em julho, a faixa norte apresenta a elevação da temperatura e da umidade, o que pode ocasionar um desconforto natural. “O ar com muita umidade interfere na nossa transpiração e causa essa sensação de abafado”, completa. 

Para amenizar o calor, a vendedora, Luciana Torres, que está em fase de mudança, priorizou a compra de um ventilador. “Eu sou muito calorenta e o clima não está ajudando nesses últimos dias. É necessário fazer esse investimento”, afirma.

A babá, Flávia Lima, que também estava em busca de seu eletrodoméstico, relatou dificuldade até para dormir, por conta das altas temperaturas. “Comprar um ventilador ou ar-condicionado se torna muito necessário, até para conseguir dormir sem incômodo”, assegura.

Assim como elas, inúmeros consumidores paraenses buscam, nesse período de altas temperaturas, adquirir ventiladores e ar-condicionados.

Para evitar qualquer intercorrência, o Diretor do Procon, Nadilson Neves, apontou dicas e cuidados que o consumidor deve ter na compra dos equipamentos. Entre as dicas, destaque para o teste dos equipamentos.

“O consumidor precisa estar sempre atento. Se puder, deve fazer o teste do produto na hora da compra. Senão, logo após a chegada do produto em sua casa. Não deve esquecer de verificar a garantia e solicitar a sua nota fiscal”, alerta o Diretor.

O consumidor deve guardar a nota fiscal do eletrodoméstico para que seja apresentada no caso de alguma intercorrência, como defeito, troca ou atendimento em assistência técnica. 

Segundo o Diretor, o consumidor deve verificar o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e analisar se aquele equipamento consome muita energia para evitar sustos, por conta do aumento dos gastos.

“Nas compras presenciais, além de verificar se o produto está em perfeito estado, os consumidores devem se informar sobre as políticas de troca do estabelecimento. Nas compras através de telefone e internet, o consumidor tem sete dias para fazer essas observações e se arrepender”, informa.

Para evitar que o consumidor seja vítima de preços abusivos, o Diretor indica que antes de efetuar a compra, seja feita uma pesquisa de preços em diferentes lojas. “Se o cidadão notar que uma loja está com preço elevadíssimo, deve procurar, imediatamente, um dos canais de atendimento do Procon para fazer a sua denúncia”, recomenda. 

Por Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *