Este ano, 3.963 pessoas tiveram de pedir ajuda ao Programa de Defesa do Consumidor para resolver problemas com a concessionária de energia Celpa no Pará. Segundo o Procon, a empresa foi a que recebeu o maior número de reclamações no país no ano passado. Foram 9.331 exatamente. Entre elas, a de cobrança abusiva.

O número de reclamações de 2017 tornou o Pará o estado em que a empresa que fornece energia recebeu o maior número de reclamações do país. Curiosamente, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica, o consumo dos paraenses até diminuiu, mas o faturamento da Celpa aumentou em 50% nos últimos cinco anos.

A dona de casa Maria Smith diz que sua conta de energia está custando mais de mil reais por mês quase sem usar energia dentro de casa. A cobrança está no nome do filho dela que mora na parte de cima da casa. Além desses valores altos, ele está pagando um acordo de mais de dezoito mil reais. “Eles falam que é um débito de 10 anos. Eu nuca usei isso. Nós nem morávamos aqui, morávamos no Rio de Janeiro”, diz o marceneiro Kleiton Amauri.

Eles não são os únicos reclamando de cobrança abusiva. Somente no bairro do Guamá, mais de 100 moradores estariam passando pela mesma situação.

“Depois da implantação novo registro da Celpa, contas de oitenta e setenta reais subiram para quatrocentos ou quinhentos reais. E tem uma tal de conta não registrada. Ai eles fazem uma média anual e multam as pessoas, taxam as pessoas com contas exorbitantes com 32 mil, 16 mil, 10mil reais ”, denuncia o diretor da Associação de Moradores Edmilson Novais.

Segundo o diretor do Procon no Pará, não faltam problemas com a concessionária de energia. “São vários problemas, e, talvez, o problema seja o modo de agir da Celpa com o consumidor em geral. Tem que haver mais clareza em tudo. O que a gente quer é muito simples, apenas que as coisas sejam feitas de acordo com o direito do consumidor”, diz Moysés Bendahan.

OUTRO LADO

Em nota, a Celpa disse que a diminuição no consumo é uma realidade de todo o país por conta da crise econômica e que o faturamento evoluiu na mesma medida dos reajustes na tarifa de energia, definidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica e que na média superaram os 50% no país.

Sobre as reclamações no Procon, a Celpa disse que, das mais de nove mil queixas, somente 29 processos foram considerados pelo Procon como reclamações fundamentadas. A empresa informou ainda que, nos últimos cinco anos, investiu mais de três bilhões de reais em ações de expansão, melhoria do sistema e atendimento ao cliente.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Cleyton Rogério
Carregar mais em Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *