Câmara Municipal proíbe venda e uso de canudos plásticos em Belém
Crédito: Divulgação

O uso de canudos plásticos em restaurantes, bares, quiosques, comércio ambulante, hotéis e similares será proibido em Belém. O projeto de lei que trata sobre o assunto foi aprovado em sessão ordinária nesta quarta-feira (14), na Câmara Municipal de Belém.

Toré Lima (PRB), justificou a autoria dizendo que o canudinho demora 1 minuto para ser produzido, cerca de 10 minutos sendo utilizado, 200 anos para se decompor e presença deles no meio ambiente mata mais de 100 mil animais marinhos todo ano.

“Temos que contribuir com o meio ambiente. Sei que o projeto é só o início dessa consciência, mas com a ajuda de todos vamos conseguir ter um planeta melhor no futuro”, apontou Toré. A proposta foi acatada pelos vereadores por unanimidade.

Celsinho Sabino (PSC) declarou ter apresentado um projeto semelhante por acreditar que o meio ambiente precisa de ajuda o quanto antes. Segundo ele, existem canudinhos feitos com outros materiais biodegradáveis que já são usados por alguns restaurantes em Belém, outros baniram totalmente o produto.

Rildo Pessoa (Avante) afirmou que Belém precisa acompanhar as grandes capitais que possuem o projeto. O vereador  disse ainda que a população precisa se conscientizar da coleta seletiva, outra forte aliada do meio ambiente. Fernando Carneiro (PSOL) acrescentou dizendo que o projeto é educativo e que já existe uma lei federal com a intenção de banir o uso do plástico, seja no canudo, no copo ou utensílios domésticos em geral.

Em outra emenda adicionada pelo autor, Toré Lima, prevê multa R$ 800 à empresa que descumprir a lei que entrará em vigor 18 meses após a publicação no Diário Oficial do Município. 

O projeto, em parágrafo único, também se aplica à venda de cotonetes higiênicos feitos com hastes de plástico não biodegradáveis ou oxi-biodegradáveis, pelo comércio atacadista e varejista no município de Belém.

Com informações da Ascom  da Câmara Municipal de Belém.