A visita do presidente da República, Jair Bolsonaro, na manhã de ontem, a Belém, acendeu a expectativa de que o espaço, após inaugurado, fosse aberto ao público. O que não deve acontecer nos próximos dias. A Secretaria de Estado de Cultura (Secult) – órgão que ficará responsável pela administração do Porto Futuro – esclareceu que ponto turístico segue sob responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Regional, até que o distrato com a Companhia Docas do Pará seja assinado.

A visita do presidente da República, Jair Bolsonaro, na manhã de ontem, a Belém, acendeu a expectativa de que o espaço, após inaugurado, fosse aberto ao público. O que não deve acontecer nos próximos dias. A Secretaria de Estado de Cultura (Secult) – órgão que ficará responsável pela administração do Porto Futuro – esclareceu que ponto turístico segue sob responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Regional, até que o distrato com a Companhia Docas do Pará seja assinado.

A informação do governo do Estado foi enviada através de uma nota disparada à imprensa, horas após a cerimônia de inauguração da primeira etapa do projeto da ordem de R$ 34,5 milhões. Havia a expectativa de assinatura nesta quinta-feira (13), o que não se concretizou. Apesar de inaugurado pelo governo federal, o espaço segue fechado por tempo indeterminado.

Assim que o Ministério concluir esta última etapa, a Companhia Docas fará a cessão ao Estado, possibilitando a abertura do Porto Futuro à população. A Secult, garante que segue aguardando o rito legal ser cumprido pelo governo federal, para que a população de Belém possa usufruir deste espaço destinado ao lazer e à cultura da população paraense.

Por O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *