Foto: Divulgação

A Polícia Civil, com apoio do Conselho Tutelar de Cacheira do Ariri, deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva contra Arlindo Alcântara Ferreira, conhecido como Taboca, na manhã desta sexta-feira (21). O homem é suspeito ter estuprado a sua própria neta, uma menina de apenas cinco anos de idade, crime cometido na casa da família, no município do Arquipélago do Marajó.

As investigações que culminaram no pedido de prisão de Arlindo foram presididas, à época, pelo delegado David Bahury. Os indícios apontaram que o homem cometeu o crime de forma repetida, havendo diversas provas dos abusos cometidos, tendo inclusive o pai da vítima presenciado uma das agressões. 

Para dar cumprimento ao mandado de prisão foi necessário que a equipe fosse descaracterizada e percorresse mais de uma hora de carro e uma hora e meia de rabeta pelos rios da região para chegar ao local onde se encontrava Taboca. O investigado estava escondido na casa de familiares, localizada no Porto de Bebé, na região do no Alto Urubuquara. A prisão foi realizada pelo delegado Raul Cabral, com apoio do escrivão Osiris Mazzinggy e de dois conselheiros tutelares.

A Polícia Civil ressaltou que já estava a procura do suspeito desde dezembro de 2019, tendo fugido em outra tentativa de dar cumprimento ao mandado.  Agora, o preso se encontra na carceragem da delegacia de Cachoeira do Arari, à disposição da justiça.

Fonte: O Liberal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *