Mais dois editais da Lei Aldir Blanc Pará estão com inscrições abertas até o dia 12 de janeiro para fazedoras e fazedores de cultura do segmento de Moda e Design e também do segmento de Cultura Digital. São R$ 800 mil (62 propostas) e R$ 500 mil (20 propostas), respectivamente, destinados a esses empreendedores culturais fortemente prejudicados com a pandemia do coronavírus.

Dois pontos importantes de ambos chamamentos é que serão destinados no mínimo 50% de prêmios para mulheres (cis e trans) e ainda, para cumprir com a política pública de interiorização do acesso aos recursos públicos, 70% dos recursos serão destinados a propostas de empreendedores culturais de 139 municípios do interior paraense – os 30% restantes abrangem as cidades de Belém, Ananindeua, Benevides, Marituba e Santa Bárbara do Pará, que pertencem à Região da Integração do Guajará, onde fica a capital do Estado.

Quem está à frente do chamamento do edital é o Instituto de Desenvolvimento Social Ágata, entidade sem fins lucrativos que realiza o processo de inscrições em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura (SECULT), Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

“A intenção desses editais é reconhecer a importância desses fazedores e fazedoras de cultura, que são responsáveis por toda essa cadeia de produção cultural no Pará. No edital de Moda e Design, estamos voltados a contemplar criação, transmissão e difusão de práticas culturais; no edital de Cultura Digital, o público-alvo é quem trabalha com processos criativos e formas de interação social realizadas a partir dos recursos da tecnologia digital, como a internet e as TICs — tecnologias de informação e comunicação”, explicou Elesânia Alvarenga, presidente da instituição.

Edital de Moda e Design

O recurso de R$ 800 mil reais será dividido em 62 propostas culturais contempladas. Não havendo número de propostas culturais selecionadas suficientes em uma modalidade ou região de integração, será selecionada a proposta de outra modalidade, região ou gênero com maior quantidade de pontos.

Os prêmios serão divididos em categorias:

1-      Propostas culturais que demandem produção e infraestrutura, além de pagamento de serviços de terceiros: 5 prêmios de R$25 mil;

2-      Propostas culturais que não demandem produção ou equipes multiprofissionais: 10 prêmios de R$ 10 mil;

3-      Propostas de designers para criação e desenvolvimento de projetos: 20 prêmios de R$10 mil;

4-      Propostas culturais de moda e design que envolvam comunidades tradicionais, afro-brasileiras, indígenas, LGBTQI e/ou promovam a inclusão à pessoa com deficiência e/ou pessoa idosa: 10 prêmios de R$ 20 mil;

5-      Propostas nas diferentes áreas do design e da moda: 10 prêmios de R$ 10 mil;

6-      Formações, como oficinas, treinamentos, cursos, seminários, etc, com no mínimo 2 ministrantes e abrangência mínima de 20 pessoas, presencial ou virtual: 2 prêmios de R$ 15 mil;

7-      Formações, como oficinas, treinamentos, cursos, seminários, etc, de curta duração virtual com abrangência de até 20 pessoas: 5 prêmios de R$ 9 mil.

Edital de Cultura Digital

Serão contempladas 20 propostas de R$ 25 mil, cujos recursos são destinados a propostas culturais de:

a)      Mídia Livre – criações coletivas de conteúdo, como aprimoramento e desenvolvimento de sites, blogs, videoblogs;

b)      Intervenção Digital – produção, compartilhamento e difusão em Arte Digital, como criação de obras de arte e intervenções artísticas multimídia, instalações interativas, vídeo-arte, vídeo mapping, projeções públicas;

c)       Formação em Rede – cursos, oficinas, debates, palestras, trocas de experiência, capacitações e outros processos formativos nas áreas de criação e edição de imagens, vídeos e áudios, além de ações de ensino de uso e desenvolvimento de software livre para fins artísticos e uso da internet como ferramenta de aprendizagem;

d)      Novas Mídias – tecnologias e metodologias voltadas à comunicação que diferem dos tradicionais como televisão, rádio, imprensa, etc;

e)      Arte Digital – qualquer tipo de manifestação artística produzida através de meios eletrônicos, como o uso de softwares e hardwares avançados que permitem a criação, a edição, o redimensionamento e outras modificações dentro do ambiente virtual.

Inscrições e seleção de propostas

Podem participar de ambos editais Pessoas Físicas, Microempreendedores Individuais e Pessoas Jurídicas maiores de 18 (dezoito) anos, residentes e domiciliadas no Estado do Pará há pelo menos dois anos e com atuação cultural também de pelo menos dois anos dentro ou fora do Estado. Pessoas Físicas podem inscrever propostas individualmente ou como representantes de grupos ou coletivos culturais não formalizados.

Para participar dos editais da Lei Aldir Blanc, os proponentes devem primeiro se cadastrar no Mapa Cultural do Pará www.mapacultural.pa.gov.br, onde será gerado o número de inscrição a ser utilizado também no presente edital. O cadastro do agente cultural na plataforma Mapa Cultural do Pará será validado pela Secult. Após o cadastro, os proponentes deverão efetuar sua inscrição exclusivamente pelos e-mails aldirblancmodaedesignpa@gmail.com e aldirblancculturadigitalpa@gmail.com.

Serviço

Inscrições abertas para os editais Moda e Design e Cultura Digital – Lei Aldir Blanc Pará 2020, até o dia 12 de janeiro de 2021. Informações no site www.institutoagata.com.br e atendimento online feito pelo Instituto aos proponentes em dias úteis, das 8h às 17h, durante o período de inscrição, pelos e-mails aldirblancmodaedesignpa@gmail.com e aldirblancculturadigitalpa@gmail.com além do aplicativo WhatsApp, número (91) 985524797.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *