Acusado de feminicídio contra Ingridy Cordeiro da Silva em 2020 no Amapá é preso no Pará (Divulgação/PC Amapá)

Um culto evangélico precisou ser interrompido por alguns instante para que um acusado de feminicídio fosse preso. O caso ocorreu no último domingo (6), por volta das 20h, na Vila dos Cabanos, em Barcarena, nordeste do Pará. Edigelson Andrade da Silva estava foragido de Macapá pela morte da ex-companheira Ingridy Cordeiro da Silva. A vítima estava grávida de dois meses quando foi assassinada pelo feminicida. 

Após receber informações da Polícia Civil do Amapá, policiais civis do Pará tiveram conhecimento sobre Edigelson, que respondia por feminicídio e tráfico de drogas, estaria frequentando uma igreja da comunidade. O acusado havia sumido desde a época do crime. Ele foi denunciado pelo Ministério Público do Amapá em 8 de julho de 20021 e, em 10 de agosto deste ano, foi expedido um mandado de prisão preventiva contra ele. 

Foi então que os policiais civis do Pará se dirigiram ao endereço para identificar e prender o foragido. Segundo a PC, ao entrar na igreja e identificar Edigelson, os policiais o conduziram para fora do templo e deram voz de prisão a ele. O preso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Vila dos Cabanos, permanecendo à disposição da Justiça do Amapá.

Relembre o caso

Ingridy Cordeiro da Silva, na época com 27 anos, morreu no Hospital de Emergência (HE) de Macapá, no dia 11 de dezembro, depois que foi baleada no conjunto habitacional Macapaba, na Zona Norte. Segundo o Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), o caso foi registrado como feminicídio. A central destacou que o namorado de Ingridy era o principal suspeito de ser o autor do disparo. A vítima foi conduzida ao HE pelos próprios familiares

Por: O Liberal

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *