A juíza da 3ª Vara Criminal do Distrito de Icoaraci homologou a prisão em flagrante de Boaventura Dias Lima e a converteu em preventiva durante audiência de custódia realizada nesta segunda-feira (23). Ele é acusado do crime de feminicídio contra a ex-esposa Leila Maria Santos de Arruda, candidata à Prefeitura de Curralinho. A magistrada titular Cláudia Favacho converteu o flagrante em preventiva como garantia da ordem pública pela gravidade dos fatos.

Durante a audiência, o Ministério Público, por meio do promotor de Justiça Mauro Mendes, se posicionou pela homologação do auto de prisão em flagrante e conversão da prisão em preventiva, pelo acusado demonstrar ser pessoa perigosa à sociedade. Já Defensoria Pública, por meio do defensor Francisco Vieira, se manifestou pela concessão de liberdade com aplicação de medidas cautelares diversas à prisão, especialmente o uso de tornozeleira eletrônica.

Boaventura Lima continuará preso. Ele foi enquadrado pela polícia no crime de feminicídio por ocasião da prisão em flagrante, conforme o artigo 121, parágrafo 2º, incisos II, III, IV e VI e parágrafo 2º-A, inciso I, do Código Penal, caracterizado pelo feminicídio qualificado pelo motivo fútil, por meio cruel (facadas), com recurso que dificultou a defesa da vítima. A Polícia Civil tem o prazo de dez dias para enviar o inquérito à Justiça.

As informações são do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. 

Dol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *