Foto: Marcelo Seabra / Ag. Pará

Hoje, 19 de abril, o município que deu origem a Tailândia, completa 147 anos de emancipação política. Acará surgiu durante as explorações portuguesas para o interior da Província do Grão-Pará e Maranhão.

Veja um resumido relato histórico da criação de Acará

Criado durante a expansão das explorações portuguesas em direção ao interior da Província do Grão-Pará e Maranhão.[1] Ao utilizarem a “estrada natural” do rio Acará fundaram um núcleo de colonização na região da bifurcação do rio Acará, em seu principal acidente geográfico, entre os rios Acará-Miri (chamado pelos antigos e atuais moradores da cidade de Acará, como rio Pequeno), e Miriti-Pitanga (continuidade do rio Acará , após a cidade, que segue ao sul, para a região do Alto Acará).

Em 1833, com a divisão da Província em comarcas, ficou pertencendo a comarca de Belém.

Conforme os escritores e historiadores, João de Palma Muniz e Teodoro José da Silva Braga, em 1839 foi criada a Freguesia do Espírito Santo do Moju, sendo a região banhada pelo rio Acará anexada a esta Freguesia. Em 1840, foi determinado que esta região fosse dividida entre a Freguesia do Espírito Santo do Moju e a Freguesia de Nossa Senhora da Soledade de Cairary.

Em 1858, o povoado foi elevado ao estatus de Freguesia de São José, pelo então governador da Província Francisco Xavier de Mendonça Furtado.

A Freguesia desenvolveu-se devido a navegação fácil e as vastas terras férteis ótimas para a agricultura e, o potencial florestal para a atividade madeireira.

Antigo mercado municipal de Acará (foto: divulgação IBGE)

Em 1864, determinou-se que as Freguesias do Espírito Santo do Moju e a de Nossa Senhora da Soledade de Cairary fossem anexadas ao município de Belém e, por conseguinte, a região do vale do Acará também.

Em 1876, devido o desenvolvimento das áreas banhadas pelo rio Acará, levou o Legislativo Provincial criar o município denominado de São José de Acará. Então a Freguesia de São José de Acará foi elevada à categoria de Vila, desmembrando do município de Belém.

Em 1890, no no período republicano, o Governo Provisório instalado no Estado, dissolveu a Câmara Municipal do município do Acará, criando o Conselho de Intendência Municipal, que elegeu Francisco Xavier Armândio de Oliveira como Intendente.

Em 1930, o status do município foi alterada, perdendo a autonomia e tendo seu território anexado de volta ao município de Belém. Mas em 1935, foi novamente desmembrado de Belém e reconhecido como município autônomo.

Registro antigo da prefeitura municipal de Acará (foto: divulgação IBGE)

Em 1955, o município de Acará passou por outra tentativa de desmembramento do seu território, para a criação do município de Tomé-Açu. Porém este ato foi considerado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal. Mas não por definitivo, pois em 1959, Ney Carneiro Brasil, líder político do então distrito de Tomé Açu, conseguiu que o governo do Estado promulga-se a Lei Estadual nº 1725, elevando o estatus do distrito para município de Tomé Açu, sendo desmembrado do município de Acará.

Em 1988, ocorreu outro desmembramento do município do Acará, para criação do município de Tailândia, na então administração do prefeito João Alves de Oliveira (João 10).

Significado do nome Acará

O nome da região Acará advém do rio de mesmo nome. Onde Acará vem do tupi e significa “aquele que morde”, em referência a peixe geofhagus brasiliensis, popularmente chamado de Cará ou Acará, encontrados nos rios de água doce da região.

Fontes
> IBGE – Histórico de Acará – acesso em 19 de abril de 2022
> Prefeitura Municipal de Acará – acesso em 19 de abril de 2022
> Diário Acaraense – acesso em 19 de abril de 2022

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.