De acordo com uma apresentação interna do Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, a variante Delta é muito mais contagiosa, tem maior probabilidade de romper as proteções oferecidas pelas vacinas contra covid e pode causar mais doenças graves do que todas as outras versões conhecidas do coronavírus, segundo uma 

A variante é mais transmissível do que os vírus que causam outras doenças como MERS, SARS, Ebola, resfriado comum, gripe sazonal e varíola, e é tão contagiosa quanto a catapora.

Segundo o documento, o próximo passo imediato da agência é “reconhecer que a guerra mudou”. Na última terça-feira, 27, a diretora da agência, Rochelle P. Walensky já havia reconhecido que as pessoas vacinadas que contraem as chamadas infecções invasivas da variante Delta carregam tanto vírus no nariz e garganta quanto as pessoas não vacinadas e que elas podem espalhá-lo com a mesma rapidez, embora com menos frequência. No entanto, o documento interno apresenta uma visão mais ampla e ainda mais preocupante da variante.

O documento detalha que a infecção pela Delta pode ter maior probabilidade de levar a doenças graves. Segundo estudos do Canadá e da Escócia, pessoas infectadas pela Delta têm maior probabilidade de serem hospitalizadas, enquanto pesquisas em Cingapura indicaram que é mais provável que necessitem de oxigênio hospitalar.

Ainda assim, os números do CDC mostram que os imunizantes são altamente efetivos na prevenção de formas graves da doença, hospitalização e morte para as pessoas vacinadas, disseram os especialistas. O virologista da Weill Cornell Medicine, John Moore, alega que “A vacinação ainda protege fortemente contra os piores resultados”.

O documento dos CDC se baseia em dados de vários estudos, incluindo uma análise de um surto recente em Provincetown, em Massachusetts, que começou após as festividades do feriado de 4 de julho na cidade. Na quinta-feira, 29, o surto havia crescido para 882 casos, onde cerca de 74% foram vacinados.

Até o início desta sexta-feira, 30, havia 71 mil novos casos de covid-19 por dia, nos EUA. Os novos dados sugerem que as pessoas vacinadas estão espalhando o vírus e contribuindo para esses números, embora em um grau muito menor do que os não vacinados. Walensky chamou a transmissão por pessoas vacinadas de um evento raro, embora outros cientistas sugerem que pode ser mais comum do que se pensava.

As novas diretrizes de uso de máscara da agência para vacinados nos EUA, apresentadas na terça-feira, foram baseadas nas informações apresentadas no documento. Os CDC recomendaram que as pessoas imunizadas usem máscaras em ambientes fechados em locais públicos localizados em comunidades com alta transmissão do coronavírus.

No entanto, o documento interno sugere que mesmo essa recomendação pode não ser suficiente, pois “Dada a maior transmissibilidade e a cobertura atual da vacinação, o uso de máscara universal é essencial”, diz o relatório.

Os dados da agência sugerem que pessoas com sistema imunológico enfraquecido devem usar máscaras mesmo em locais onde não haja alta transmissão do vírus. O mesmo deve acontecer com as pessoas vacinadas que estão em contato com crianças pequenas, adultos mais velhos ou pessoas mais vulneráveis.

Com informações do Extra 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.