O Brasil é considerado um dos países com uma das maiores populações carcerárias do mundo. Dados do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), mostram que mais de 20 mil presos vivem amontoados nas casas penais, que têm capacidade para apenas 9,9 mil pessoas.

A superlotação dos presídios paraenses tem sido um dos fatores para o excesso de mortes dentro destas casas penais. A situação alarmante vem se acumulando há vários anos, causando pânico nas famílias dos detentos e na sociedade, que presencia o caos no sistema carcerário paraense.

Somente de janeiro até o dia 9 de abril deste ano de  2019, a Susipe registrou 59 óbitos de presos nas Unidades Penitenciárias do Estado do Pará. No restante do mês de abril e neste mês de maio, já houve mais de dez mortes dentro das penitenciárias e até de delegacias. Em 2018, o número foi ainda maior, com 74 mortes registradas nas cadeias paraenses.

O descontrole sobre essa violência na carceragem é tanto, que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PA) acredita que a situação é consequência da falta de estrutura nos presídios, juntamente  com a atuação do crime organizado, o que têm contribuído para o aumento no número mortes nos presídios.

Com informações Roma News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que aconteceu hoje, direto no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.