Na tarde desta terça-feira (26), Aparecida Lourdes de Oliveira Ferreira Lima, a primeira paciente a usar o plasma para combater o novo coronavírus, recebeu alta hospitalar do médico Pedro Garibaldi, pesquisador do plasma. A senhora de 65 anos estava internada desde o dia 15 de abril no Hospital Estadual de Serrana, em São Paulo.

O tratamento teve duração de 40 dias, a primeira infusão do material na paciente foi realizada no dia seguinte da internação, em 16 de abril. Ela recebeu ainda outras duas bolsas nos dias 18 e 19 do mesmo mês.

O que é o plasma?
É a parte líquida do sangue, composto de sais minerais, vitaminas e anticorpos. O tratamento funciona como um ‘transplante de imunidade' de uma
pessoa curada para o organismo de alguém que está tentando combater o vírus. “Os doadores precisam ter confirmado o diagnóstico pelo vírus Sars-Cov-2 (Covid-19) e também devem estar livres de qualquer sintoma” afirma o hematologista Rodrigo Calado, coordenador do estudo do plasma.

O Hospital das Clínicas pretende continuar a pesquisa e realizar o tratamento em 45 pacientes confirmados com a Covid-19 e em estado grave. O experimento busca evitar mortes e agilizar o processo de cura para liberação de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e de respiradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *