Foto: Divulgação

Um grupo independente baseado nos EUA está angariando voluntários que aceitem ser infectados deliberadamente com o novo coronavírus para acelerar o teste de uma vacina contra a doença.

Batizada de 1 Day Sooner, a iniciativa angariou mais de 1.7 mil  voluntários em mais de 40 países, em menos de um mês. O 1 Day Sooner recorda que este tipo de experiência já foi feita para encontrar o tratamento para a “gripe, malária, tireoide, febre de dengue e até cólera”, de forma a “acelerar o desenvolvimento” e “salvar milhares ou até milhões de vidas”. 

“O desenvolvimento de vacinas envolve um cuidadoso processo com múltiplas etapas de teste. Uma vez que bilhões de pessoas poderiam receber uma vacina contra a Covid-19, a sua segurança e eficácia necessita de ser completamente assegurada”, explica a campanha. 

“Tipicamente, a vacina é primeiro testado em animais para ver se é seguro e se provoca uma resposta imunitária. Depois, é testada num pequeno grupo de voluntários humanos, novamente para termos de segurança e resposta imunitária (Fase 1). Se os resultados forem promissores, é expandido a uma população maior e mais representativa de várias centenas de voluntários num teste de Fase 2”, acrescenta. 

Segue-se, então, a “Fase 3”, que, por norma, “é a que demora mais tempo”, uma vez que passa por “avaliar a eficiência da vacina num estudo, envolvendo centenas de participantes, e é o passo final antes de uma vacina ser considerada suficientemente segura para que os reguladores permitam o uso em massa”. 

O processo “pode ser tanto complexo como lento”, pelo que, “se, ao invés, todos os participantes do estudo estiverem expostos ao patógeno sob condições altamente controladas”, seria possível alcançar “uma vacina segura, eficiente e altamente disponível num período muito mais curto de tempo”. 

Fonte: Globo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *