Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Segurança Pública desempenha um trabalho fundamental na fiscalização e no cumprimento das medidas restritivas. O trabalho de recebimento de denúncias do Centro Integrado de Operações (Ciop) é essencial para este trabalho de combate e que tem sido dificultado pelo alto índice de trotes recebidos. 

No primeiro trimestre de 2021, foram 61.780 ocorrências envolvendo aglomerações. O número reúne chamadas de perturbação do trabalho ou sossego alheio, desobediência ao decreto estadual e, ainda, perturbação da tranquilidade. No mês de abril, até o último domingo, 25, foram 17.043 ocorrências. 

Em contrapartida, o número de trotes nesse primeiro quadrimestre chegou a 22.888. De janeiro a março, os índices apresentavam uma queda, entretanto, em abril o número alcançou a marca de 5.140 chamadas falsas. O Ciop constantemente solicita à população a conscientização para combater este tipo de crime.

A chamada falsa, além de crime, gera prejuízos sociais, como perda de tempo no serviço dos atendentes, de recursos disponíveis ao deslocar viaturas para um caso inexistente, além da perda social, pois deixa-se de atender um caso verídico.

Se for confirmada a intenção de comunicar denúncia falsa e forem identificados os autores – ou seus responsáveis legais, caso sejam menores de idade,  é possível caracterizar o ocorrido como crime pelo Artigo 340 do Código Penal Brasileiro, que prevê de aplicação de multa e/ou até seis meses de prisão.

Amigo do Ciop

Com o projeto ‘Amigo do CIOp’, que começou em 2019, o Centro visa promover uma aproximação da população junto à instituição, conscientizando e fidelizando pessoas junto à sua missão. O projeto, desenvolvido nas escolas, está pausado por conta da pandemia que dificultou o retorno às aulas presenciais.

Apesar desse entrave, os índices apresentavam redução e um excelente resultado de conscientização. Com a ação do projeto Amigo do CIOp, num período de um ano, houve uma redução no índice de trotes de 27,10% de chamadas falsas. Com a impossibilidade de dar continuidade ao projeto, o diretor do Centro faz um apelo.

Fonte: Agência Pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *