Na manhã de hoje (06) a Polícia Civil do Pará cumpriu três mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão contra três investigados por homicídios ocorridos na Grande Belém. As prisões aconteceram durante a Operação Reduto, coordenada pela Divisão de Homicídios (DH), e desarticulou um grupo criminoso composto por 10 pessoas, incluindo o líder, capturado hoje. 

O trabalho investigativo iniciou há aproximadamente um ano e sete meses, após um triplo homicídio ocorrido no mês de Dezembro de 2019, no bairro do Reduto. Durante esse período, sete pessoas foram presas enquanto as investigações avançavam, chegando no líder do grupo e mais duas pessoas. O grupo criminoso é investigado por cometer 12 homicídios e três tentativas do mesmo delito, além de extorsões a comerciantes ao tentarem atuar com serviços de segurança privada na área comercial, dentre outros atos ilícitos. As motivações são diversas, incluindo dividas por tráfico de drogas, animosidades pessoais e dividas de comerciantes. 

Segundo o delegado-geral, Walter Resende, as investigações apontaram que os crimes são típicos de execução, com o mesmo modus operandi . “Com estas prisões vamos conseguir elucidar os 15 crimes e, provavelmente, outros homicídios cometidos na capital serão esclarecidos. Certamente com a prisão do mentor desse grupo e apreensão do armamento, vamos diminuir expressivamente o número de homicídios e execuções na Região Metropolitana de Belém, garantindo assim a segurança da população”, esclareceu o Delegado-geral Resende. 

Durante a operação com cerca de 100 agentes e o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), também foram apreendidas 15 armas de fogo, munições, materiais para confecção de armas caseiras e material metalúrgico, utilizados nos delitos e armazenados em um deposito na área comercial de Belém. 

Investigações – A condução do caso foi feita pelo titular da Divisão de Homicídios (DH), delegado Cláudio Galeno. Durante as investigações, foram feitas coletas e a análise de imagens de câmeras de segurança, oitivas de testemunhas.

(Com informações da Agência Pará)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *