Crédito: Redes Sociais

Festas regadas a sexo, música e bebida alcoólica. O cenário talvez não causasse espanto se o local não fosse a Paroquia de Monte Serrat, no Largo da Batata, em Pinheiros, São Paulo. O padre  Bartolomeu da Silva Paz é apontado como um dos articuladores das festinhas. A denúncia foi feita na última sexta-feira, 4, pela revista Isto é.

Os detalhes da investigação constam nos autos de um processo judicial que tramita desde maio na Vara Civil do Estado de São Paulo, ao qual a revista teve acesso. O autor é Elissandro Dias Nazaré de Siqueira, 24 anos, que alega ter sido violentado pelo padre nas dependências da casa paroquial. Os abusos dos quais o jovem diz ter sido vítima, ainda quando era menor de idade, teriam ocorrido também na sede da Associação Cultural e Beneficente para o Bem-Estar do Idoso, que é ligada à Paróquia Monte Serrat e era presidida pelo padre.

O mesmo espaço onde ocorriam as orgias, abriga idosos. Os homens que o religioso convidava para as festas são flagrados em fotografias anexadas ao processo, usando a piscina do local.

Segundo o autor da ação, foi em um dos quartos da Associação que ele acordou, em uma das vezes que ele diz ter sido violentado pelo padre Bartolomeu, “com dores na região do ânus e com a cueca sanguinolenta”.

O padre Bartolomeu foi procurado pela reportagem da revista, mas  não respondeu aos contatos.

Por: IstoÉ 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *