Imagens feitas por helicóptero de rede de TV mostram homens pulando lajes e invadindo casas de moradores para tentar fugir da polícia | Reprodução – YouTube

Em agosto do ano passado, o plenário do STF determinou a suspensão da realização de incursões policiais em comunidades do Estado do Rio de Janeiro enquanto perdurar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia da Covid-19.

Apesar da decisão da Suprema Corte, o dia 6 de maio de 2021 ficará marcado por uma das operações mais letais da polícia do Rio: ao menos 25 pessoas morreram durante uma operação da Polícia Civil na comunidade do Jacarezinho, zona norte da capital fluminense. Dentre os mortos há um policial, baleado na cabeça.

A identidade dos mortos não foi divulgada pelas autoridades de segurança. Outros dois policiais foram feridos na perna e de raspão no braço. Até o começo da tarde, havia confronto na região. 

No metrô que cruza a região dois passageiros ficaram levemente feridos ao serem atingidos dentro de uma composição, perto da estação Triagem.

Os feridos no metrô foram identificados como Humberto Duarte, 20, levado para o Hospital Souza Aguiar, e Raphael Silva, 33, socorrido no Hospital Salgado Filho. Segundo as unidades de saúde, Duarte tem estado de saúde estável, enquanto Silva saiu da unidade mesmo sem alta médica.

A investigação teve início a partir de informações repassadas à DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente) de que traficantes vêm aliciando crianças e adolescentes para integrar a facção que domina o território, o CV (Comando Vermelho).

Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, a operação “Exceptis” foi deflagrada a partir de denúncias de que criminosos estão expulsando moradores de suas casas. O grupo seria responsável também pelo assassinato de moradores e pelo sumiço dos corpos.

De acordo ainda com as denúncias, a organização criminosa atua ainda no sequestro de trens da Supervia, roubos a transeuntes e roubo de cargas. Vinte e um criminosos foram identificados como os “responsáveis por garantir o domínio territorial da região com utilização de armas de fogo”, informou a Polícia Civil.

Durante a ação, o Globocop da TV Globo mostrou homens pulando de laje em laje e invadindo casas de moradores para tentar fugir da polícia.

Segundo a polícia, o policial morto durante a operação foi identificado como André Leonardo de Mello Frias e era da Dcod (Delegacia de Combate as Drogas). Os outros dois policiais que foram feridos atuam da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) e na Dcod. Em nota, a Secretaria Estadual de Polícia Civil disse que “se solidariza com amigos e familiares, e sente muito a dor pela morte do inspetor que teve uma trajetória ilibada na instituição, sendo admirado e respeitado por todos. Ele honrou a profissão que amava e deixará saudade. Mas também deixa o sentimento de que o trabalho não pode parar”.

A região do Jacarezinho é considerada um dos quartéis-generais do CV (Comando Vermelho). “Em razão da dificuldade de se operar no terreno, por conta das barricadas e das táticas de guerrilha realizadas pelos marginais, o local abriga uma quantidade relevante de armamentos, que seriam utilizados nas retomadas de territórios perdidos para facções rivais ou para se reforçar de possíveis investidas policiais”, explicou a polícia.

Por: UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *