(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

Mais de 200 servidores temporários lotados na Secretaria Municipal de Educação de Castanhal, no nordeste do estado, foram demitidos neste mês de julho. O decreto, publicado no Diário Oficial do Município no último dia 6, vem causando polêmica na cidade. Os servidores em questão ficaram no prejuízo, pois não vão receber o salário deste mês nem o benefício de férias, correspondente a 1/3 do salário.

A maioria dos funcionários são professores que tiveram os contratos encerrados, mas serventes, agentes administrativos e outros profissionais também foram desligados. Contudo, no mesmo decreto, os mesmos temporários são recontratados. De acordo com o secretário de administração, a prefeitura enfrenta dificuldades para manter o pagamento do piso nacional para professores. Ou seja, a decisão foi tomada com o objetivo de econômizar.

Um servidor que prefere não se identificar, com medo de retaliações, diz que a medida da prefeitura lhe trouxe sérios prejuízos econômicos, porque comprometeu o orçamento do período. O funcionário diz ainda que a categoria sofre com a instabilidade no emprego e não luta mais por seus direitos trabalhistas porque teme perder o cargo.

Para o Sindicato dos Professores, a decisão se trata de uma manobra da prefeitura para não cumprir com os direitos dos temporários. A legalidade dessa medida ainda deve ser avaliada pela categoria.

 

G1 PA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *