Crédito: Divulgação/Agência Brasil

Conhecido como João de Deus, João Teixeira de Faria, foi condenado a mais dois anos e meio de reclusão pelo crime de violação sexual seguido de fraude contra uma mulher em Goiás. A decisão foi assinada pelo Juiz Renato César Dorta Pinheiro nesta terça-feira, 25.

Segundo o Tribunal de Justiça, com esta nova condenação, a pena de João por diversos crimes ultrapassa os 64 anos. A decisão atual cabe recurso.

João de Deus, que segue negando as acusações, esteve detido no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, entre dezembro de 2018 e março de 2020, mas devido à pandemia da covid-19, ele está autorizado a cumprir prisão domiciliar na sua casa que fica em Anápolis.

Segundo o TJ, dez mulheres estavam envolvidas na denúncia que teve como resultado a decisão desta terça-feira, mas o juiz descartou as acusações em nove casos, e manteve julgamento para apenas um deles.

Em nota a defesa de João de Deus detalhou que, segundo a sentença, a pena pode ser cumprida em regime aberto.

O Ministério Público de Goiás, segundo os advogados, relata três abusos contra a mesma mulher: “o primeiro fato teria ocorrido em junho de 2018, o segundo em 31 de agosto do mesmo ano e último em 11 de outubro”.

“A defesa irá recorrer da referida sentença reforçando a inocência de João de Deus, especialmente por conta da fragilidade das provas apresentadas”, disse a defesa.

Por: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *