| Reprodução

João Ildo Miranda, 73 anos, foi assassinado com golpes de facão dentro da própria casa no bairro Caximba, em Curitiba, na noite da última sexta-feira (11). Após a morte do idoso ser noticiada, relatos de pessoas que afirmam terem sido estupradas por ele foram levados à polícia na última semana. 

O aposentado já possuía três processos por estupro de vulnerável correndo contra ele na Justiça, segundo o delegado Victor Menezes, que cuida do caso.

“Respondia nas delegacias de Araucária e do Nucria por estupro de vulnerável, ou seja, noticiaram que ele teria sido o autor de estupro contra menores de 14 anos. Agora, se ele de fato, era no autor é uma coisa que deve ser respondida por essas delegacias”, explicou. 

Relato das vítimas

Em entrevista para a RIC Record TV, uma das mulheres que afirmam terem sido vítimas de Miranda, hoje com 27 anos, contou que os abusos sexuais começaram quando ela tinha apenas nove anos de idade e vivia no bairro Vila Izabel. 

“Ele morava no nosso bairro e começou a visitar nossa casa. Começou a fazer visita quando meus pais não estavam em casa, com doce, presentes. Sempre se mostrando ser aquele homem bonzinho e partir daí começaram os abusos”, disse a mulher, que prefere não se identificar. 

Conforme seu relato, os estupros duraram cerca de quatro anos e sua irmã mais nova, de apenas seis anos, também foi violentada por Miranda. Elas só não denunciaram o caso aos pais porque eram ameaçadas por ele. 

“Ele falava que era bonzinho, mas sabia ser muito ruim com quem era pilantra com ele, eram essas as palavras que ele usava. Então, ele deixava claro que se um dia a gente contasse para alguém, coisas ruins aconteceriam conosco”, lembra. 

De acordo com a irmã mais velha conta que depois de sete anos sendo estuprada pelo homem, aos 13 anos, sua irmã engravidou. “Quando ela fez 13 anos, a gente viu que ela estava grávida e ela fez um aborto. Ela me contou que era dele porque era a única pessoa que tinha contato com ela”, completou. 

Um morador do bairro Caximba há mais de dez anos, que também prefere manter o anonimato, confirmou que Miranda abusava sexualmente de crianças. Além disso, ele teria sido executado por moradores do bairro depois que engravidou uma menina de 11 anos. 

“O João Ildo, ele oferecia doce para as crianças, arrastava as crianças para dentro, com o intuito de querer dar doce ajudar e acabava abusando. Inclusive, foi descoberto porque uma menina de 11 anos engravidou dele e, inclusive, o Conselho Tutelar até tomou essa criança dos pais. Pessoas pedófilas ali, eles matam mesmo e sexta-feira [dia do assassinato de João Ildo] não foi diferente”, declarou o homem.

Por:  R7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *