| Reprodução

No final da tarde de terça-feira (16) um homem abriu fogo contra quatro casas de massagem na região de Atlanta, nos Estados Unidos, matando 13 pessoas, todas mulheres asiáticas que trabalhavam nos locais.

Segundo o jornal ‘New York Post’, as autoridades relataram que, por volta das 17h (horário local), um homem atirou contra cinco pessoas no Young’s Asian Massage Parlour, no condado de Cherokee, na Geórgia. Quatro dessas vítimas morreram. Uma hora depois, outras quatro pessoas foram encontradas mortas em mais um ataque a casas de massagem na região de Piedmont Road.

Reprodução

Policiais também foram acionados no Gold Spa e encontraram três mulheres mortas dentro da empresa. Outro chamado de tiroteio foi registrado no Aromatherapy Spa, que fica do outro lado da rua, e que deixou uma mulher morta. A polícia conseguiu identificar o atirador suspeito como Robert Aaron Long, de 21 anos, de Woodstock, na noite desta terça-feira. Ele foi encontrado ao sul de Atlanta horas após uma caçada policial ter se iniciado. Os policiais ainda não sabem a relação entre os crimes.

Em entrevista a rede de televisão WXIA-TV, o chefe de polícia de Atlanta, Rodney Bryant, disse que é cedo para especular possíveis motivos para os ataques. Ele foi questionado se o ato pode ter relação com a onda nacional de crimes de ódio anti-asiáticos, mas não respondeu. “Estamos nos estágios iniciais, então não podemos fazer essa determinação ainda”, disse. Segundo a coalização nacional Stop AAPI Hate, somente em 2020 aconteceram 2.800 incidentes de ódio contra a população asiática nos EUA.

Por: Portais da IstoÉ e Jovem Pan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *