Para terem direito ao selo, os produtoes e batedores terão que cumprir as normas sanitárias em todas as fases de manuseio do fruto.

reunião_selo-açai-Portal-tailandia

A aula inaugural reuniu representantes Adepará, do Sebrae, Ministério da Agricultura, Eletronorte,

Câmara Municipal de Belém e bancos parceiros.

O Governo do Estado vai criar um selo de qualidade a ser concedido aos produtores e batedores de açaí que participarem do curso de capacitação  coordenado pela Secretaria de Agricultura do Estado (Sagri), em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa) e mais 11 órgãos ligados aos setores agrícola, de saúde e de crédito. Para terem direito ao selo, os produtoes e batedores terão que cumprir as normas sanitárias em todas as fases de manuseio do fruto. O primeiro passo para a profissionalização da cadeia do açaí foi dado nesta quinta-feira, 21, com a aula inaugural do curso de capacitação dos batedores artesanais de açaí.

Durante o evento, o titular da pasta, Hildegardo Nunes, afirmou que o Governo do Estado tem dois grandes desafios para incrementar a cadeia do fruto no Estado: melhorar a qualidade e aumentar a quantidade de açaí produzida no Pará. “Com a grande divulgação e com o açaí chegando a novos mercados, não há como ampliar essa produção somente com o extrativismo”, disse o dirigente, defendendo mais investimentos nas áreas de tecnologia e pesquisa, a fim de que se tenha uma ampla oferta do fruto para abastecer o mercado.

“Temos avançado pouco na área de produção e é preciso mudar essa realidade”, ressaltou, lembrando que o curso é mais uma ação do Programa Estadual de Qualidade do Açaí. “O Programa marca uma nova fase para esse segmento da economia paraense, voltado à organização da cadeia produtiva e transformação de produtores e batedores em pequenos empreendedores”, frisou Hildegardo. Como a capacitação nesta fase é voltada aos batedores de Belém, técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) também estiveram na aula inaugural.

O curso vai se estender até o final do ano para atender inicialmente 1.700 dos quase 3 mil batedores da Região Metropolitana de Belém (RMB). Paralelo a isso, também será levado ao interior do Estado, com prioridade às regiões do Baixo Tocantins e do Marajó, que registram o maior índice da doença de Chagas no Estado. Além das boas práticas no manuseio do produto, os batedores vão conhecer ainda as técnicas de branqueamento do fruto, por meio de equipamento específico para esse fim e que foi demonstrado durante a aula inaugural.

Para que os batedores tenham acesso ao equipamento, uma linha de crédito diferenciada será ofertada por meio dos Bancos do Brasil, da Amazônia e do Estado, a fim de que eles possam adquirir a máquina por um custo reduzido. “Agradecemos todo o apoio que o Governo vem dando aos batedores”, disse o presidente da Associação dos Vendedores do Açaí de Belém, Carlos Noronha.

Estiveram presentes ao evento também representantes da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Ministério da Agricultura no Pará, Eletronorte, Câmara Municipal de Belém e bancos parceiros. O deputado Carlos Bordalo representou a Assembleia Legislativa.

 

Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *