Rio +20 – Não há quem resista ao charme da cultura paraense | Portal Tailândia

O movimento é intenso no ambiente do Pará no estande da Amazônia Brasileira, na Rio+20.

Não há quem resista ao charme da cultura paraense. Prova disso é o movimento intenso no estande do Pará, localizado dentro do pavilhão da Amazônia Brasileira, no Parque dos Atletas, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20. Por dia, uma média de três mil pessoas tem passado pelo espaço e aproveitado para conhecer um pouco mais sobre os cheiros, as cores e sabores que o Estado tem para oferecer.

Montado dentro de um conceito sustentável, o estande foi feito com placas de miriti, confeccionadas por artesãos do município de Abaetetuba atendidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Na área central do espaço é possível encontrar uma mesa feita do tronco da árvore de Piquiá e ainda uma vitrine onde estão representadas, com bonecos de miriti, cadeias de valor típicas do Pará, como a produção do açaí, a pesca e a madeira.

“A ideia é não só usar a matéria-prima local, como trazer para este evento a matéria-prima de artesãos da região, ou seja, incluir pessoas que normalmente estão fora desse circuito, abrindo novas possibilidades de inclusão econômica dessas comunidades”, explicou a designer responsável pela empresa que fez a conceituação e o desenvolvimento do estande, Fernanda Martins.

Cheiro– O que tem despertado mesmo o interesse de quem passa pelo local – principalmente pessoas de outros países – são as ervas do Ver-o-Peso. O  Pará levou para a Rio +20 uma barraca e uma erveira da maior feira livre do país. “O movimento aqui na minha barraca não para. Todos querem conhecer e saber um pouco mais sobre as ervas do Pará. As pessoas também ficam curiosas e perguntam se as ervas funcionam mesmo. As mulheres ficam interessadas pelo ‘Chega-te a mim’ e os homens pelo ‘Viagra natural’”, diz a vendedora de ervas Patrícia Nunes, que trabalha há mais de 15 anos na feira do Ver-o-Peso.

A estudante mineira Vanessa Franco, 23 anos, ficou encantada com a variedade e com o cheiro das ervas. “Achei muito interessante e adorei o cheiro de todas elas. Fiquei com uma vontade imensa de conhecer o Pará”, disse. A jovem não resistiu e tomou o famoso banho de cheiro paraense.

O casal de médicos Helio e Graça Rocha também fez questão de parar no estande paraense. “Já tinha lido em revistas e ouvido falar o quanto o Pará é rico em ervas, principalmente as medicinais. É muito interessante poder conhecer essa riqueza de perto”, afirmou o médico. As nigerianas Mago Felícia e Gloria Hanen ficaram interessadas no trabalho feito de miriti. “Nunca tínhamos ouvido falar nesse material e gostamos muito porque tem muita cor e tudo de muito bom gosto”, comentou Glória.

Além de mostrar a cultura tradicional do Pará, o estande também oferece tecnologia para os visitantes do evento. Em tablets e televisões de alta resolução, o público assiste a vídeos institucionais que falam sobre o bem-sucedido programa Municípios Verdes. O estande do Pará fica em exposição até o dia 22, quando a conferência termina, sempre no horário de 10 às 22 horas.

 

 

Texto:
Bruna Campos – secom | via Agência Pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.