HGT faz agendamento para oferta de 300 exames de mamografia em referência ao Outubro Rosa. (foto: reprodução/internet)

Referência de média complexidade em várias especialidades, entre elas, obstetrícia e pediatria, além de oferecer serviço de Maternidade 24h, a gestão do Hospital Geral de Tailândia (HGT) abriu oficialmente a campanha do Novembro Roxo, na última quarta-feira (17), em comemoração ao Dia Mundial da Prematuridade. A ação de educação em saúde tem o intuito de prevenir o parto prematuro entre suas usuárias e evitar risco de morte e sequelas futuras para na vida adulta do bebê.

Segundo dados da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), a prematuridade é um problema que atinge 15 milhões de crianças todos os anos no mundo. No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano. Mais de 12% dos nascimentos no país acontecem antes da gestação completar 37 semanas, o dobro do índice de países europeus. Os problemas da prematuridade vão além do baixo peso, um prematuro precisa de cuidados especiais na UTI, o que aumenta em três vezes o Roxo para prevenção do parto prematuro e com maternidade.

De janeiro a outubro deste ano, a equipe multiprofissional do HGT realizou cerca de 1.300 partos, desses 40 foram prematuros, o que representa 2,9% dos pequenos usuários nascidos entre 22 e 36 semanas, quando é considerado prematuro.

Equipe do HGT adere ao novembro roxo em prevenção ao parto prematuro. (foto: reprodução)

De acordo com o ginecologista/obstétrico do HGT, Domingos Jorge João Costa, são vários os fatores de riscos para um parto prematuro, entre eles, parto prematuro anterior, ruptura prematura das membranas ovulares, descolamento prematuro de placenta, pré eclampsia, infecção urinária, gemelaridade, malformações fetais e placentárias, tabagismo, uso de álcool ou uso drogas ilícitas e infecções durante a gravidez, como sífilis, tuberculose

Ainda segundo o médico, os bebês prematuros podem ser classificados de acordo com a idade gestacional ao nascer, sendo o prematuro limítrofe aquele nascido entre 37 e 38 semanas; moderado nascido entre 31 e 36 semanas e prematuro extremo aquele nascido entre 24 e 30 semanas de idade gestacional.

Domingos Jorge observa os problemas mais comuns. “A prematuridade é uma condição preocupante devido os riscos de vários problemas, os respiratórios são os mais comuns, pois os prematuros nascem carentes de surfactante, uma proteína produzida nos pulmões que permite que eles se encham de ar. No caso do bebê não conseguir respirar sozinho, pode haver a necessidade de ventilação mecânica até que os pulmões amadureçam. Outro tratamento consiste na administração do surfactante, para abrir os alvéolos pulmonares e evitar a tão temida apnéia (pausa na respiração). Além dos problemas respiratórios, podem surgir problemas cardíacos, intestinais, neurológicos e outros”.

Fazendo parte da equipe multiprofissional do HGT, o enfermeiro Dimas Júnior, alerta sobre algumas medidas de prevenção que podem evitar o nascimento antes do tempo com adoção de medidas simples podem evitar que o bebê nasça antes do tempo, entre elas, destacamos diálogo aberto com gineco/obstetra, antes mesmo de engravidar. “Ele poderá lhe dar conselhos muito úteis para que você inicie a gravidez de maneira saudável e evite um parto antes da hora. Assim que o resultado der positivo, avise seu médico imediatamente. Quanto antes o pré-natal for iniciado, melhor para a mãe e para o desenvolvimento do feto. Siga as consultas e exames do pré-natal rigorosamente”.

O enfermeiro cita ainda a necessidade de atividade física com orientação do médico, manter calendário de vacinação atualizado, ficar alerta para eventuais sangramentos e observe líquidos e secreções vaginais.

Usuário do HGT, Deuzilangela Silva, soube da realização da abertura do Novembro Roxo, e enviou uma carta à direção da unidade hospitalar expressando toda sua gratidão e agradecimento pela assistência recebida, em agosto, jun to com seu filho, nascido de parto normal na unidade Hospitalar.

Deuziângela Silva e seus gêmeos. (foto: Agência Pará)

Ela fez pré-natal e seguiu todas as orientações do médico ginecologista/obstétrico. “Quero aqui, por meio dessa carta, agradecer toda equipe do HGT. No dia 13 de agosto de 2021, por volta das 10h30, dei entrada no hospital em trabalho de parto, passei por avaliação. Minha gravidez foi gemelar em situação de risco. Eu estava com muito medo, ansiedade, preocupada com meus nenês. Mas, fui bem recebida pelos médicos e enfermeiros e, rapidamente fui encaminhada ao Centro Cirúrgico fazer passar por cirurgia cesariana. Era uma equipe com 11 profissionais que acompanharam meu parto. Todos muito atenciosos, correu tudo bem, meus bebês nasceram saudáveis fortes, graças a Deus. Só tenho gratidão por toda equipe HGT”.

Programação lançamento do Novembro Roxo

O evento de educação em saúde contou com o lançamento de vídeo produzido com membros do projeto “Laços de Amor”, como a participação da psicóloga e analista de Recursos Humanos, Eudileia Santana; enfermeira, Emanuelle Cupini; auxiliar Administrativo, Gleyss Silva; fisioterapeuta, Fernanda Cordeiro; a fonoaudióloga, Sinthia Leão, que levam esclarecimentos às usuárias do HGT sobre o tema.

Até o final deste mês, serão realizadas ações educativas para levar informações corretas , claras e objetivas aos públicos interno e externo, em atendimento ou internadas na unidades hospitalar. A ação envolverá ainda os colaboradores.

Serviço: O Hospital Geral de Tailândia é um órgão do Governo do Pará, administrado pelo INDSH, em parceria com a Sespa. A unidade fica na Avenida Florianópolis, s/n, no Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-3121.

(Com informações da Agência Pará)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *