Ryssia Braun, médica endocrinologista do Hospital Jean Bitar (HJB). Foto: Divulgação

Dados do Ministério da Saúde revelam que a mortalidade em decorrência da Covid-19, em pessoas que convivem com a obesidade é mais alta, entre aquelas com menos de 60 anos. Nesse caso, a taxa é de 57%. Já entre as pessoas com mais de 60 anos, a taxa de mortalidade é de 43%.

Segundo a médica endocrinologista do Hospital Jean Bitar (HJB), Ryssia Braun, dentre os principais motivos que levam a população com obesidade a entrar no grupo de risco para infecções graves por Coronavírus, está o fato do comprometimento pulmonar pelo aumento de peso, associado, principalmente, doenças como a síndrome de apneia obstrutiva do sono; a síndrome da hipoventilação e a doença restritiva pulmonar da obesidade que leva à dificuldade do indivíduo a expandir os pulmões por ter uma musculatura torácica mais fraca.

Outros motivos, conforme informou a endocrinologista, é em função de a obesidade ser um estado de inflamação crônica e o tecido adiposo visceral produzir substancias inflamatórias, piorando a resposta imune do pacientes, frente ao vírus, e também por estes possuírem maior risco de trombose pelo próprio peso. Além disso, conforme a médica, a obesidade, na maioria das vezes, já vem associada a outras doenças crônicas e graves como hipertensão arterial, diabetes e doenças cardiovasculares.

“A covid-19 acaba se tornando bem mais grave pelo processo inflamatório do obeso ter uma resposta exacerbada em frente ao vírus. Pequenas perdas de 5% do peso atual já reduzem os riscos para gravidade da doença e grandes perdas de mais de 10% do peso atual já reduzem a resposta inflamatória de forma satisfatória”, ressalta a endocrinologista.

Um estudo holandês recente, supõe que o vírus se deposita nas células de gordura (adipócitos) e vai sendo liberado aos poucos. Por conta disso, ele pode gerar resposta inflamatória exacerbada.

Ryssia informa que o acompanhamento médico, a prática de exercícios físicos, alimentação adequada, são essenciais aos obesos, em tempos de pandemia. “Oriento que procurem estar ativos fisicamente, seja com afazeres em casa, para que se movimentem e até mesmo atividade física. É importante também, tentar reduzir o tempo sentado durante o dia, reduzir o tempo a frente de computador, celular ou televisão; evitar alimentação durante essas atividades paradas; estabelecer uma rotina de alimentação para não aumentar a chance de beliscar; tentar fazer diários de alimentação anotando cada refeição; não parar o uso de medicações se estiver em tratamento, e, se possível, não se afastar do seu médico e nutricionista por meios de telemedicina nesse momento, onde as consultas presenciais não são aconselháveis, e, principalmente, pensar que essa é a hora certa para que se cuidem e mudem os seus hábitos.”

A Covid-19 em obesos, independente de faixa etária é preocupante, sobretudo no Brasil, já que conforme a última pesquisa do Ministério da Saúde, realizada em 2019 sobre a doença, mais da metade da população brasileira está acima do peso.

Hoje, a obesidade atinge um a cada cinco brasileiros. Como prevenção à doença, Ryssia informa que “as orientações são as mesmas feitas para qualquer pessoa, que são as medidas de isolamento, evitando ao máximo sair de casa, e, se sair, usar obrigatoriamente máscaras; além de lavagem das mãos com água e sabão e/ou álcool gel, também se adequa a esses pacientes assim como na população geral”, aconselha.

Ryssia destaca a importância da prevenção, para evitar uma possível hospitalização. “Os pacientes obesos são mais difíceis de intubar, a posição de decúbito prona que ajuda durante a ventilação mecânica, é mais difícil de se conseguir nesses indivíduos e o transporte deles também se torna comprometido”, informa a endocrinologista.

Hospital Jean Bitar (HJB). Foto: Divulgação

O HJB oferece assistência de média e alta complexidade para o atendimento das especialidades de Clínica Médica, Reumatologia, Endocrinologia, Pneumonia, Cardiologia, Endoscopia e Geriatria, além de ser referência para cirurgias da parede abdominal e gástrica, incluindo bariátrica. Também são oferecidos serviços cirúrgicos para vias biliares e intestino.

Serviço: O HJB fica na Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Bairro Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *